Por Di Lua, sobre Uncategorized
Dia 18/06/2010
Andando pela feira, vi todo tipo de invenção, mas apenas uma me chamou tanta atenção. Era uma maquina grande, parecida com aquelas de teletransporte dos filmes de ficção ciêntifica, ao lado dela tinha uma placa escrita ” Máquina do Amor Perfeito”. Os criadores explicaram que ela criava uma “alma gêmea” a partir das combinações, físicas e psicológicas, da pessoa que a tivesse usando. Eles distribuíram senha para quem tivesse interessado em testar a máquina, e logo eu estava indo fazer a minha combinação.
O painel era cheio de teclas, onde se podia escolher desde cor dos olhos á defeitos que a pessoa teria. Comecei pela parte física, olhos e cabelos claros, mas tinha uma exceção, cabelos pretos com olhos azuis, existe combinação mais perfeita que essa? Magro ( não gosto de bombadões) e alto, aliás maior que eu já esta bom.
Resolvi passar para a teclas psicológicas. Tinha que ser uma pessoa legal, responsável, verdadeira, romântica, sincera, que gostava de ouvir rock, passear no parque, ir no cinema, de Harry Potter e de dançar forró aos sábados. Ele tinha que ser inteligente, saber cozinhar e me entender com o olhar.
Mas ai comecei a ter reflexos, na verdade, me perdi eu meus pensamentos. Para quer eu iria querer alguém tão perfeito? ele não teria nenhum defeito, ia gostar das mesmas coisas que eu, ia ser uma rotina sem fim, uma relação que logo ficaria sem graça e monótona. Cadê a obra do destino, ou do acaso? eu não teria esse gostinho, o gostinho do novo.
Apertei o STOP, peguei minha bolsa e fui tomar café. E se eu tivesse sorte, eu poderia encontrar alguém legal e real.
obs.: Texto para Blorkutando


Dia 04/08/2010 às 16:46

Gostei!;D