Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 11/12/2018

*Igreja Santa Rita

No feriado do dia 15 de novembro fui para Uberaba (a 467km de Goiânia), cidade do triângulo mineiro com minha família. No ano passado passamos pela cidade quando íamos para Araxá e acabamos conhecendo o Santuário da Medalha Milagrosa. Minha mãe gostou muito da igreja e quis voltar esse ano, e eu que não recuso uma viagem resolvi ir. Com uma rápida pesquisa pela internet, percebe-se que Uberaba não é uma cidade muito turística, mas que há sim algumas opções legais de passeio, como: conhecer e apreciar as várias igrejas católicas da cidade; ir no Museu do Dinossauro, em Peirópolis (tema do próximo post); conhecer a casa onde viveu Chico Xavier; ir em cachoeiras; e visitar os museus (se eles tiverem abertos rs).

Saímos de Goiânia na quinta-feira, 15, por volta das 08h30 e chegamos em Uberaba umas 15h. No caminho paramos no posto Caipirão, em Goiatuba/GO, para um lanche e almoçamos em Uberlândia, já em minas Gerais. Fizemos o check-in no Hotel Flor de Minas, descemos as malas do carro e fomos nos museus de Arte Decorativa (MADA), Arte Sacra e da Mojiana, mas todos estevam fechados. Como ficamos apenas um dia inteiro na cidade (chegamos na quinta-feira e viemos embora no sábado, 17) não conseguimos voltar nestes museus nos outros dias.

A minha ideia era ir em Peirópolis no dia que chegamos lá, pois o Museu do Dinossauro abre no feriado e a conhecer os outros museus e igrejas na sexta-feira, mas, como chegamos tarde, acabamos invertendo a programação e encontrando quase tudo fechado. Então lá vai minha dica: evite museus e igrejas em cidades que não são tão turísticas nos feriados, a chance deles estarem fechados é enorme. De toda forma, confira abaixo dicas de alguns passeios.

O que fazer em Uberaba?

Conhecer e se encantar com a arquitetura das igrejas católicas
Igreja de Santa Rita: A Igreja de Santa Rita foi construída em 1854, e tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1939. Nela está instalada o Museu de Arte Sacra da cidade, que tem um acervo rico em peças barrocas dos séculos XVIII e XIX. Infelizmente o museu estava fechado no dia da nossa visita. Localização: Praça Manoel Terra – Estados Unidos, Uberaba.

Igreja de São Domingos: Em 1881, os sacerdotes dominicanos realizavam os ofícios religiosos na igreja de Santa Rita, mas com o aumento do número de pessoas na comunidade, iniciou-se em 1889 a construção de uma igreja dedicada a São Domingos. Ela foi inaugurada em 1904, ainda inacabada (sem as torres e abóbadas centrais). A Igreja tem um estilo neogótico e é muito imponente. Localização: Rua Lauro Borges, 272 – Estados Unidos, Uberaba.

 


Igreja da Medalha Milagrosa: Em 1830, No dia 27 de novembro de 1830, Santa Catarina Labouré, da Congregação das Filhas da Caridade, em Paris, teve uma visão de Maria. Na ocasião, Maria mostrou o modelo da medalha que ela desejava fosse cunhada como sinal de grandes graças que ela obteria junto de Jesus. A medalha foi cunhada dois ano depois da visão e várias cópias foram distribuídas iniciando assim uma devoção. Apesar de não ser a padroeira de Uberaba, o Santuário da Medalha Milagrosa foi inaugurado em 26 de novembro de 1961 e atraí muitos devotos. Localização: Rua Medalha Milagrosa, 123 – São Sebastião, Uberaba.

 

Memorial Chico Xavier

Aprender um pouco mais sobre viveu Chico Xavier

Chico Xavier, um dos mais importantes expoentes do Espiritismo, viveu durante muitos anos em Uberaba/MG. Muitos fiéis vão à cidade para conhecer a Casa de Memórias e Lembranças Chico Xavier, casa onde ele viveu até falecer em 2002.  No mesmo bairro se encontra o “Memorial Chico Xavier”, construído em homenagem ao médium, cujo acervo conta com vários jornais, revistas, fotos, livros e manuscritos sobre Chico Xavier. A entrada em ambos locais são gratuitas e vale a pena conhecer mesmo se você não for espírita.

Casa de Memórias e Lembranças Chico Xavier: Rua Dom Pedro I, 165 – Parque das Américas, Uberaba

Memorial Chico Xavier: Avenida João XXIII, 2011 – Parque das Américas, Uberaba

Sei que este post ficou bem “religioso”, mas no próximo falarei sobre as Cachoeiras próximas à Uberaba e a visita ao Museu do Dinossauro.

 


Por Di Lua, sobre Entretenimento
Dia 06/12/2018

resoluções de ano novo lary di lua

Todo final de ano é sempre a mesma coisa, a gente se pega fazendo as resoluções para o próximo ano. Tem quem faça apenas mentalmente, tem quem faça listinhas que acabam se perdendo, tem quem faça listas e as pendure no espelho do guarda-roupa para sempre dar de cara com elas, tem quem faça mas só volta a encontra-la no final do ano e tem quem publique em seu blog e vez ou outra passa o olho por ela, que é o meu caso hahaha. De toda forma já virou tradição fazer minha listinha e colocar aqui no blog, mas este ano vou fazer diferente, vou pontuar como me programarei para realizar minhas resoluções de fato:

resoluções de ano novo lary di lua

Realizar ao menos duas viagens no ano

Eu amo viajar e sempre que possível coloco o pé na estrada. Não que eu tenha muito dinheiro, mas sempre tenho economias na minha poupança e, além disso, considero qualquer viagem: seja perto da minha cidade, seja para acampar, seja excursão, enfim, o importante é conhecer um lugar novo ou sair da rotina. Tenho duas viagens em mente para o ano que vem, mas isso vai depender mundo se eu conseguirei poupar para realizá-las. E aí a minha dica para fazer isso é sempre separar uma quantidade x do salário e colocá-la na poupança, planejar, fazer o orçamento de cada viagem, pois programação é essencial para viajar mais vezes no ano.

resoluções de ano novo lary di lua

Olha aí os lugares que quero conhecer em 2019 <3

Continuar  fazendo exercícios físicos

Voltei para a academia em junho deste ano, após voltar com uns quilos a mais da viagem para os EUA. Me matriculei na musculação e desde então tenho ido quase todos os dias. O meu plano termina neste mês de dezembro e já pensei em desistir para caminhar na pista perto de casa, mas sei que corro o risco de abandonar a atividade como fiz outras vezes. Por isso estou pensando seriamente já assinar um plano de seis meses na academia para não correr o risco de parar de ir. Acho muito cansativo ir na academia todos os dias, mas sei que isso tem feito bem para o meu corpo, saúde e auto-estima.

Alimentação natural e orgânica

Recentemente descobri uma colite crônica no intestino e por isso estou passando por um tratamento médico que consiste em: alimentação basicamente natural (nada de industrializados, carne vermelha e leite) e remédios para desinflamar o órgão. No inicio fiquei bem triste ao saber que não poderia comer as coisas que eu gosto por 90 dias, entretanto é melhor esperar esse tempo do que nunca mais poder comer, como eu achei que aconteceria. Essa semana me aventurei na cozinha e fiz leite vegetal de amendoim e cookies de okara (o resíduo que sobrou ao fazer o leite), e já comprei ingredientes para fazer leite de coco, ricota vegetal e outros. Cozinhar é um processo demorado e que necessita de tempo e paciência, mas poder comer algo que você fez e que não é tão agressivo para o seu corpo e sua saúde é gratificante.

resoluções de ano novo lary di lua

Ler pelo menos um livro por mês

Ultimamente eu tenho lido tão pouco. A falta de tempo, a internet, os vários cursos onlines contribuem para que eu não leia tanto como eu fazia antigamente e isso me deixa cada vez mais ressentida. No próximo ano quero ler ao menos um livro por mês e para cumprir essa meta, irei fazer uma lista com os livros que eu jé tenho em casa e nunca li e os títulos que sempre quis ler ou foi indicado por alguém.

Encarar novos desafios

Este ano eu realizei meu sonho de conhecer a Califórnia. Fui sozinha mesmo sem ser fluente em inglês. Para muitos a viagem pode ter parecido loucura e para outros nada demais, mas para mim foi a prova de que eu posso fazer qualquer coisa neste mundo desde que eu encare meus medos. No próximo ano quero sair da minha zona de conforto em vários sentidos e encarar coisas que tenho adiado há tempos.

Ser mais grata

Todo ano coloco isso na minha lista, mas no próximo ano quero fazer diferente. Pensei em espalhar bilhetinhos em lugares que sempre mexo dizendo pelo quê devo ser sempre grata: pela vida, pela comida, pelo emprego, por quem eu sou, por ter uma casa, uma cama, amigos, família, por poder viajar, por poder trocar o dia no serviço quando preciso, por poder comprar algo que gosto, por poder ajudar os outros, enfim, coisas que fazem parte do nosso dia a dia, mas que sempre esquecemos que temos que agradecer.

E você, já fez suas resoluções para 2019?


Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 29/11/2018

No dia 13 de outubro, nos programamos para chegar no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros às 8h, contudo nos enrolamos. Às 8h30 a caminho do parque, algumas pessoas nos informaram que ele já estava lotado, em razão do feriado, e por isso não receberia mais ninguém. Voltamos até São Jorge e conseguimos transporte com o Uandersom ((62) 99997-1148) até a Cachoeira Raizama, que fica a 3km dali.Como fomos em um grupo com cerca de 18 pessoas, ele cobrou R$20 ida e volta.

Na entrada da fazenda Raizama, que por si só já é cheia de energia, há um palco para shows com fotos de lendas do rock e instrumentos livres para quem quiser tocar. Além disso, o local dispõe de banheiros e de um pequeno bar que sempre tem água para vender e na hora do almoço alguns quitutes, como torta de frango. No dia 13 de outubro, a entrada estava custando R$20, mas como estávamos em um grupo grande, o proprietário cobrou R$15 de nós.

A Cachoeira é formada pelo encontro das águas do rio Raizama e do Rio São Miguel. Durante a trilha circular, o visitante pode se banhar em piscinas formadas nos trechos desses rios e admirar os cânions formados ao longo do rio São Miguel. A Trilha, que é mais curta e tranquila, tem apenas um trecho complicado, que é nas descidas em escadarias para os pontos para banho. O percurso total na trilha é de 2,6km, e por isso é a melhor pedida para quem vai com crianças ou pessoas mais velhas.

Contudo, durante o percurso da trilha, o meu grupo acabou “passando reto” pelas piscinas naturais formadas entre os cânions (por falta de sinalização), seguindo direto para a cachoeira da Raizama e voltando para a portaria. O guia então propôs voltar conosco e mostrar o caminho certo. Dica: preste bastante atenção na explicação da entrada e na hora que chegar no primeiro mirante dos cânions, siga pela esquerda.

Por ser de fácil acesso e ter uma trilha mais curta, a Raizama é uma ótima opção para quem está com crianças ou não tem tanto preparo físico para encarar o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros.

Assista ao vlog do meu dia na Raizama aqui

E você? Gosta de viagens assim? já ouviu falar da Chapada dos Veadeiros? Comente aqui:


Por Di Lua, sobre Entretenimento
Dia 13/11/2018

Imagem Reprodução

No próximo domingo,18 de novembro, Mickey Mouse, o ratinho mais famoso do mundo completa 90 anos. Em Nova York, onde ele apareceu pela primeira vez, as nove décadas do ratinho estão sendo comemoradas com a “Mickey: The True Original Exhibition”,  onde estão exibidos, em quase 5km, artefatos vintage da Disney e obras históricas e contemporâneas de artistas renomados.

Mickey Mouse

Criação de Walt Disney, Mickey Mouse apareceu pela primeira vez no dia 18 de novembro de 1928 em “Steamboat Willie (O Vapor Willie)”. O desenho sonoro em preto e branco foi apresentado no Colony Theatre em Manhattan, Nova Iorque. Contudo, o personagem foi criado para os curtas animados mudo “O Avião do Mickey e “The Gallopin Goucho”, mas antes da finalização do primeiro, o cinema ganhou som e estes curtas só foram exibidos posteriormente.

O personagem foi criado a partir de esboços de Oswald, um coelho criado por Walt Disney, mas que foi “remodelado” após problemas com direitos autorais.

Imagem Reprodução

Inicialmente Mickey era apenas um camundongo falante de uma tira cômica, sendo dublado pelo próprio Walt Disney. Seu primeiro nome seria Mortimer, mas como era muito pesado e formal para um desenho, Lily Disney, esposa de Walt Disney, sugeriu o nome consagrado.

Transformações

Nos primeiros anos de suas aparições, Mickey bebia e fumava. Mas por ganhar popularidade, Walt Disney decidiu torna-lo politicamente correto em 1930. Ao longo dos anos muitos sócios e empregados da Disney tentaram tirar Mickey de circulação, contudo ele era considerado a estrela da sorte por seu criador.

Imagem Reprodução

Em 1935, Mickey, já colorido, ganha a companhia de Donald e Pateta em “O Chefe da Banda”. Já em 1936, o ratinho aparece junto com sua amada Minnie em “O Rival do Mickey”. Pluto, seu cachorro de estimação aparece em “Dá uma Pata” (1941), que ganhou o Oscar de melhor curta-metragem.

Eu e a Minnie em maio deste ano na Disneyland Califórnia

Em 1940, os estúdios Disney lançam “Fantasia”, primeiro longa metragem de Mickey, que aparece como um feiticeiro atrapalhado. O filme fugiu totalmente do padrão dos Clássicos Disney, a não ter uma narrativa tradicional, como inicio meio e fim, mas sim oito sequencias distintas que ilustram trechos de musica clássica. Na estreia, as musicas de Fantasia foram executados pela Orquestra da Filadélfia, com condução de Leopold Stokowski e direção de Joe Grant e Dick Huemer.

Ao longo dos anos, Mickey foi se adaptando as transformações pelas quais o mundo passava e foi sendo remodelado. Em 1932, Walt Disney foi premiado com um Oscar honorário pela sua criação mais famosa. Já em 1978, quando completou 50 anos, Mickey se tornou o primeiro desenho animado a ganhar uma estrela na Calçada da Fama em Hollywood.

Disneyland Califórnia

Páginas12345... 227»