Por Di Lua, sobre Cinema, Diário de Viagem
Dia 09/12/2016

ccxp-2016-evanna-lynch-lary-di-lua-5

No último sábado, dia 03 de dezembro, eu fui na Comic Con Experience 2016 (CCXP), evento de cultura pop, realizado entre os dias 1º e 4 de dezembro, no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, em SP.  Conheci a Evanna Lynch, a Luna Lovegood de Harry Potter (e este blog tem esse nome por causa dessa personagem rsrs), vi várias cosplayers incríveis, vários estandes com brindes e atrações legais, e muita, mas muita gente reunida com o mesmo objetivo: fazer parte/celebrar a cultura geek/nerd. E sim, foi épico e com certeza irei nos próximos anos.

ccxp-2016-lary-di-lua-3 ccxp-2016-lary-di-lua-4

A CCXP deste ano contou com estandes dos principais estúdios, como Warner, HBO, DC Comics, entre outros, e com vários artistas internacionais, como Vin Diesel ( Velozes e Furiosos), Nina Dobrev ( Diário de Vampiros), Ruby Rose (Orange is the New Black), Milla Jovovich (Resident Evil), Evanna Lynch (Harry Potter), Natalie Dormer (Games of Thrones), David Ramsey (Arrow), David Wenham (Senhor dos Anéis, as Duas Torres), além de ídolos dos quadrinhos, escritores e artistas.

ccxp-2016-lary-di-lua-7

ccxp-2016-lary-di-lua-9

Eu fui na CCXP 2016 especificamente para conhecer a Evanna Lynch, mas aproveitei e fiquei o dia todo na feira. Havia quatro salas com painéis no dia que fui. No inicio fiquei na Sala Cinemark, onde teria o painel da Evanna, premier de Moana, apresentação dos novos Power Ranges, entre outros, mas como eu também queria ver a feira em si, os estandes, as atividades e ações, acabei assistindo apenas o painel da Evanna.

ccxp-2016-lary-di-lua-10

ccxp-2016-lary-di-lua-11

O espaço onde foi realizado a CCXP 2016 é enorme, por isso é impossível ver tudo em um dia só, como tentei fazer. Por causa da quantidade de pessoas, todos os estandes tinham filar quilométricas, e por isso não consegui tirar foto/participar das ações de todos. Nem na loja oficial do Harry Potter (onde as coisas estavam bem caras) eu consegui entrar. Segundo a organização do evento, 192 mil pessoas passaram na CCXP durante os quatro dias, ou seja, muita gente.

ccxp-2016-mari-moon-lary-di-lua-1


ccxp-2016-lary-di-lua-2

Minhas dicas para quem pensa em ir nas próximas Comic Con:

Compre ingresso pelo menos para dois dias, assim você consegue aproveitar mais e ir em todos os estandes;

O ator/artista que você admira estará no evento e você sonha em conhecê-lo? Economize durante o ano e compre o ingresso para tirar foto, vale muito a pena, pois é uma oportunidade única;

Vá com roupas e calçados confortáveis;

Leve lanches;

Se divirta muito.

Quer ver um pouquinho como foi meu dia na CCXP 2016? Assista ao blog abaixo:


Por Di Lua, sobre Cinema, Música
Dia 21/06/2016

invocação do mal 2 lary di lua (2)

No último final de semana fui ao cinema assistir à Invocação do Mal 2, e apesar das críticas negativas o filme me surpreendeu muito. Roteiro, imagem bem trabalhada, ótima atuação, ambientes sombrios, cenas assustadoras e, para finalizar, a trilha sonora foi muito bem escolhida, e juntamente com os efeitos sonoros aumentaram ainda mais o suspense do filme.

Para quem não sabe, o filme foi baseado em fatos reais, assim como “Invocação do Mal 1” e “Annabelle”. Todos eles foram baseados em histórias desvendadas pelo casal Warren, famosos por investigarem fenômenos paranormais, principalmente entre as décadas de 70 e 80. Edward Warren, falecido em 2006, era especialista em demonologia, já sua esposa, Lorraine Rita Warren é clarividente e médium.

Pensei em fazer um resumo do caso Poltergeist de Enfield (1977), em que o filme “Invocação do Mal 2” foi baseado, mas há muitos detalhes e versões sobre o fato, pois muitos acreditam que se passava apenas de uma farsa produzida pelas irmãs Margareth e Janet Hodgson, e que o casal Warren sequer participou do desvendamento do caso (Leia mais aqui ).

invocação do mal 2 lary di lua (1)*Foto real tirada durante a possessão de Janet

Como o caso aconteceu em 1977, a trilha sonora de Invocação do Mal 2 é composta por grandes sons da década de 70, entre eles I Started A Joke, Bee Gees e Can’t Help Falling In Love, do Elvis Presley. No filme e nas fotos reais (há muitas fotos sobre o caso Poltergeist de Enfield na internet) mostra que o quarto das garotas era cheio de pôsteres de cantores e bandas, cujos integrantes eram adeptos do corte de cabelo em forma de cuia (o famoso corte dos Beatles) e de ternos. Ou seja, o filme foi bem real a época e principalmente ao estilo musical que as irmãs gostavam: o rock and roll. Ouçam abaixo todas as músicas que fazem parte da trilha sonora de Invocação do Mal 2.

Trilha sonora de Invocação do Mal 2

1.Don’t Give Up On Us Baby – David Soul
2. Bored Teenagers – The Adverts
3. Bus Stop – The Hollies
4. Don’t Worry Tracy – Christopher Blue
5. The First Noel – Slovak State Philharmonic Orchestra
6. Can’t Help Falling In Love – Elvis Presley
7. I Started A Joke – Bee Gees

*Não encontrei essas no YouTube 🙁
8. Photograph – Mark Isham
9. Happy Family – Mark Isham
10. Jolly Christmas Medley – Robert J. Walsh
11. This Old Man – Ben Parry

invocação do mal 2 lary di lua (3)

Sinopse de Invocação do Mal: Sete anos após os eventos de Invocação do Mal (2013), Lorraine (Vera Farmiga) e Ed Warren (Patrick Wilson) desembarcam na Inglaterra para ajudar uma família atormentada por uma manifestação poltergeist na filha. A trama é baseada no caso Enfield Poltergeist, registrado no final da década de 1970.


Por Di Lua, sobre Cinema
Dia 31/03/2016

Últimos filmes assistidos no Cinema

filmes-que-assisti-deuses-do-egito-lary-di-lua

Deuses do Egito (2016)

Sinopse: Bek (Brenton Thwaites) é um mortal pacato que se considera apenas mais um soldado, e que vive em um Egito ancestral dominado por deuses e forças ocultas. Quando o impiedoso Set (Gerard Butler), deus da escuridão, toma o trono da nação e mergulha a sociedade no caos, o jovem se unirá a outros cidadãos e com o poderoso deus Horus (Nikolaj Coster-Waldau), para formar uma expressiva resistência.

O que achei: Filme muito bom e que vale a pena assistir: principalmente pela atuação, riqueza dos detalhes e efeitos visuais. O filme apresenta o Egito sobre um novo olhar: a convivência dos deuses com os mortais. Além disso, é possível entender a relação dos egípcios com o pós-morte.

Últimos filmes assistidos no Netflix

AgeD1-178.dng

A Incrível História de Adaline (2015)

Sinopse: Adaline Bowman (Blake Lively) nasceu na virada do século XX. Ela tinha uma vida normal até sofrer um grave acidente de carro. Desde então, ela, milagrosamente, não consegue mais envelhecer, se tornando um ser imortal com a aparência de 29 anos. Ela vive uma existência solitária, nunca se permitindo criar laços com ninguém, para não ter seu segredo revelado. Mas ela conhece o jovem filantropo, Ellis Jones (Michiel Huisman), um homem por quem pode valer a pena arriscar sua imortalidade.

O que achei: Por que eu demorei tanto para assistir esse filme?

“A Incrível História de Adaline” é o típico filme romântico em que uma pessoa está presa ao tempo e por causa disso se priva do verdadeiro amor. Contudo, diferente de filmes em que a pessoa é um viajante do tempo (como em “Te Amarei para Sempre”) e não consegue se desfazer desse “poder”, Adaline, depois de viver por mais de xx anos, consegue. É lindo, é emocionante e me fez chorar, rsrs.
*Ponto bônus do filme: a protagonista é a Blake Lively :).

filmes que assisti vivendo na eternidade lary di lua

Vivendo na Eternidade (2012)

Sinopse: Na 2ª década do século XX vive Winnie Foster (Alexis Bledel), uma “ave em uma gaiola de ouro”, pois seus pais são muito ricos, mas não a deixam aproveitar a vida. Isto é tudo que uma jovem de 15 anos deseja, mas ela está proibida de se “misturar” com outras pessoas. Esta situação muda bruscamente quando vê Jesse Tuck (Jonathan Jackson) bebendo em uma fonte, que fica no pé de uma árvore num bosque próximo da sua casa. Inicialmente ele tentou intimidá-la, mandando-a ir embora, mas ela se negou, pois o pai dela era o dono do bosque. Surge então Miles (Scott Bairstow), o irmão de Jesse, que queria dar um jeito nela pois Angus Tuck (William Hurt), o pai de Jesse e Miles, tinha dito que não poderiam haver exceções. Entretanto Jesse intervém e Winnie acaba conhecendo a família Tuck, que a recebe gentilmente. Seu medo inicial é substituído por uma sensação de liberdade, que nunca experimentou na vida, e ela e Jesse se sentem cada vez mais atraídos. Quando Winnie pergunta a Jesse sua idade, ele responde que tem 104 anos. Obviamente ela não crê, pois ele aparenta ter 17 anos, mas gradativamente ela fica sabendo que todos os Tuck são incapazes de morrem e o segredo está na água da fonte do bosque. Paralelamente os pais de Winnie acham que foi sequestrada e organizam uma busca

O que achei: Encontrei esse filme por acaso no NetFlix e resolvi assistir. Coincidentemente ele é um pouco parecido com “A Incrível História de Adaline”, pois o roteiro gira em torno de uma família que ficou imortal após tomar água de uma fonte mágica. A personagem de Alexis Bledel enfim encontra a liberdade que tanta sonhará ao conhecer a família Tuck, e vive momentos incríveis, drama e no fim se apaixona por Jesse. Contudo, a paixão não foi capaz de fazê-la tomar da água. Assim, o final não é do tipo “viveram felizes para sempre”, mas não deixou de ser um final feliz.


Páginas123456... 19»