Por Di Lua, sobre Entretenimento, Uncategorized
Dia 11/01/2012

Estávamos lá, apenas nos dois e as estrelas. Sempre tive uma imensa fascinação por elas, seres luminosos que me intrigam, mas que iluminam meus caminhos. E agora , ele também me fascinava. Talvez pelo jeito que agiu, pelo jeito que me olhava, e pelo jeito que me tratava.

Tudo parecia tão simples e tão bom quando estávamos juntos. Eu poderia passar horas só curtindo a companhia dele, que isso me faria bem.

E agora, as estrelas testemunhavam o nascimento de um grande sentimento, o qual  eu esperava que fosse infinito, assim como o universo. E quando uma estrela cadente cruzou o céu, foi o que pedi. Mas isso, só o tempo iria dizer.
obs.: Texto para o projeto Bloínquês .

Por Di Lua, sobre Uncategorized
Dia 07/10/2011

     Depois de tudo que havia acontecido, eu esperava que ela fosse embora, mas não tão cedo.Pedi um tempo, e achei que isso seria suficiente, que  tudo iria se resolver. Tentei fazer com que as coisas se ajeitassem, porque no fundo eu não queria tomar uma decisão. No fundo eu tinha medo.
     Talvez eu tenha pedido de mais , e não percebi  que isso só afetava a ela. E com o tempo ela se cansou e decidiu partir. E agora só me restava correr, ir atrás dela …

texto para o Bloínquês


Por Di Lua, sobre Uncategorized
Dia 17/06/2011
           
           Quando pequena queria voar, alcançar a lua e deixar o mar. Talvez porque a lua me fascinava e me fascina. Como que pode existir um espetáculo tão lindo no céu, e ninguém viver-lá ?
            Isso me intrigava muito. E para achar uma resposta resolvi estudar, entender todas as constelações e imaginar como seria viver na Lua. E foi aí que decidi ir para lá, resolvi virar astronauta.Não foi fácil, estudei durante muitos anos, aprendi sobre todo o universo, as estrelas, os planetas e as galáxias.
             E agora vou realizar meu grande sonho, vou para a Lua!

Por Di Lua, sobre Uncategorized
Dia 30/05/2011
         Com o Jonh eu vinha tentando fazer diferente, não me precipitei, deixei as coisas rolarem. Tudo ia bem, eu, ele, o vento, o sorriso, a vida. 
          E agora estávamos ali, naquele momento, nosso momento. Jonh me olhava, porém, não era com os olhos, era com a alma, e eu podia ver o que se passava nela. Todo esse tempo juntos me possibilitou enxerga-lo, e acredito que ele também conseguia me ver, decifrar.
         Ele começou a falar, na verdade ele estava gaguejando. Jonh tentava, mas não conseguia esconder o seu nervosismo. Eu já não estava entendendo o que se passava,  e foi aí que ele fez o pedido. O tempo parou, era algo que eu queria, mas para mim foi uma surpresa. Mais uma vez Jonh conseguia me surpreender. E a única coisa que pedi as estrelas, foi que fosse eterno enquanto durasse, ao responder sim.

Páginas12