Por Di Lua, sobre Moda
Dia 27/05/2016

boho festival lary di lua (1)

Sempre que penso em ter um estilo definido imagino ele assim: uma mistura de rock e country, ou seja, bem boho. Isso se deve principalmente aos meus gostos musicais: gosto muito de rock, principalmente os das décadas de 60,70 e 80, mas também gosto de country rock (Eagles, Lynyrd Skynyrd, The Band, The Byrds, Creedence Clearwater Revival, e muitas outras). E em minha opinião o gosto musical influencia e muito o modo de vestir das pessoas.

Quando ouço country rock me imagino pegando a estrada, em uma viagem muito longa, ouvindo música, parando para comer algo, junto de pessoas que me fazem feliz, conhecendo gente nova, passando por paisagens incríveis. E sempre que imagino essas cenas me vejo vestida: com chapéus, botas, camisetas de bandas, shorts jeans rasgados, vestidos florais, botas texanas, ou coturnos cheios de tachas e fivelas.

boho festival lary di lua (5)

Minhas principais inspirações na hora de vestir assim são filmes como “Easy Rider” (Título em português: Sem Destino – 1969) e “Almost Famous” (Título em português: Quase Famosos – 2000), festivais de música como o Coachella e o Woodstock, e nas pastas do Pinterest, é claro.

Sobre o Look Festival Boho

Amei esse look, principalmente porque expressou meu estilo interior, o modo como eu queria me vestir diariamente. Sempre que saio da rotina e/ou viajo, tento incorporar peças que quase não uso, mas que gosto, aos meus looks. E combinar o chapéu com a bota country é um exemplo disso. A única coisa ruim deste look é que eu poderia ter jogado um colete de suede ou um kimono por cima, mas fica para a próxima.

boho festival lary di lua (4)

Esse vestido lindo comprei na região da 44 aqui em Goiânia, e o que mais gostei nele é o fato dele ter babado apenas na barra. O chapéu floppy, que tem uma pegada bem boho por ter abas mais largas, eu comprei no AliExpress já tem um tempo (post sobre ele aqui). Essa bota country linda, da marca Wrangler eu comprei em um brechó online e amei: ela é de couro, tem salto quadrado baixo e bico fino. E essa pulseira de Pedra da Lua, que onde eu passo todo mundo pergunta, eu comprei em Ouro Preto.

boho festival lary di lua (6)

AH, escrevi esse post ouvindo essa playlist aqui!
Gostaram do look, o que vocês mudariam?


Por Di Lua, sobre Moda
Dia 05/04/2016

Boho Chic lary di lua (2)

Sempre fui apaixonada pelas produções dos usuários do LookBook.nu e a cada visita pensava: “quero me vestir assim”. Mas aí na hora de montar os looks o meu desejo de vestir igual a elas virava: “está muito calor para usar esse chapéu” ou “esse look está muito cheguei e chamativo”.  Já tem algum tempo que tento definir, em partes, meu estilo, mas essa minha mania de ligar para a opinião dos outros, jogando culpa no tempo, é uma bobeira e o grande empecilho para eu sair por aí igual as Olsen ou a Chiara Ferragni.

Boho Chic lary di lua (3)

Por isso, quando eu montei o look “Boho Chic em Goiás”, que usei no passeio que fiz à Cidade de Goiás, eu fiquei tão feliz, me senti tão eu mesma, e nem liguei se estava muito calor, até porque o chapéu estava me protegendo e isso não era desculpa. Eu sei que esse processo é lento, e ainda vou pensar muito na hora de montar um look mais ousado, mas não vou desistir :).

Bem, para montar esse look boho chic apostei na dupla: vestido + colete e investi nos acessórios. Esse vestido de viscose tomara-que-caía é meu xodó, já separei diversas vezes para doar, mas sempre desisto e pego ele de volta: até porque sempre o estou usando. O colete de suede é uma criação minha: eu pensei em como o queria, fiz o molde, cortei e costurei <3. Não ficou perfeito, mas dá para usar.

Boho Chic lary di lua (4)

Há tempos procurava uma bota country para chamar de minha, mas era difícil encontrar uma com bordados que não fosse tão country e de preferência sem salto. Até que passeando pelos brechós da vida, encontrei essa peça no @Bs77 e foi amor a primeira vista. Entrei em contato com os vendedores e logo concluí a compra. Ela é mais linda do que eu pensava e bem diferente das botas que tenho. Já vejo vários looks boho chic meio country com ela.

Boho Chic lary di lua (1)

O Chapéu floppy, uma das minhas comprinhas no AliExpress, deixa qualquer look mais interessante. Os brincos também são do AliExpress, e o maxi-colar de Campinas. Já esse bracelete da pedra da lua é o queridinho do momento, comprei em Ouro Preto.

Gostaram desse look? Comente aqui e curtam ele lá no LookBook.nu.


Por Di Lua, sobre Moda
Dia 08/10/2015

desafio marco zero petite jolie lary di lua (3)

 “ Desafio Marco Zero – Petite Jolie”

A Marco Zero Representações e a Petite Jolie lançaram um desafio para as blogueiras que participaram do Workshop no último domingo em Brasília (saiba mais aqui): customizar a camiseta Verão 2016 da Petite Jolie de acordo com as tendências da coleção da marca.

Como falei no último post, a Petite Jolie dividiu a coleção Verão 2016 – Summer Fresh – em quatro temas: o “Resort Tropical”, o “Festival Fever”, o “Wonder Years” e “Deep Action”. As características e inspirações de todos os temas me agradam, mas, particularmente, me identifico mais com o boho/gypsy e por isso escolhi o “Festival Fever”.

desafio marco zero petite jolie lary di lua (1)

O tema é inspirado nos anos 60 e 70, época em que os festivais de músicas entraram no auge, o movimento hippie influenciou o comportamento e o estilo de vida, principalmente dos jovens, e por isso houve uma  valorização de elementos naturais. Por isso as peças do “Festival Fever” da Petite Jolie são marcadas pela exploração de materiais, como pedras, correntes, amarrações e tranças.

Assim, comecei minha customização embalada por  “Who’ll Stop The Rain” do Creedence Clearwater Revival, “Piece of my heart” da Janis Joplin, “Baba O’Riley” do The Who, e “The Weight” do The Band, bandas que tocaram “Woodstock Music & Art Fair”. O Festival, realizado entre os dias 15 e 17 de agosto de 1969 em uma fazenda em Bethel, comunidade rural a 145 km de Nova York, foi anunciado como “três dias de paz e música” e marcou a história da música e do movimento hippie no mundo.

desafio marco zero petite jolie lary di lua (1)

Para fazer minha “Joplin T-shirt” (:3), comecei tingindo minha camiseta de azul, queria fazer um tie dye (técnica usada para criar padrões de cor de mais variadas formas, e que caracteriza bem o movimento hippie), mas acabei fazendo um dégradé sutil.

Após tingir a camiseta, cortei tiras de aproximadamente 12cm na barra e uni-las de duas em duas, dando um nó, fazendo um macramê – técnica de tecelagem manual . A segunda parte consistiu em retirar as mangas da camiseta e aplicar renda no lugar. Por fim, fiz uma trança com linha para crochê e passei em pequenos furos feitos perto da gola.

Tanto o dégradé, como o macramê, a renda e o crochê remetem a moda dos anos 60, ao estilo hippie e boho, uma vez que estes prezam por elementos naturais, que contam historias.

Assista aqui como fiz minha customização.

Para montar o look, escolhi uma saia longa de linha na cor azul turquesa. Nos acessórios, apostei em um sapatinho aberto com estampa animal print, headband também de animal print – tendência presente no “Festival Fever”, brincos tassel (franjas) e pulseiras de várias correntes. A bolsa baú dégradé azul piscina/turquesa da Petite Jolie, que ganhei no dia do evento, foi acessório fundamental na hora de montar o look e deu um ar boho chic a produção.

desafio marco zero petite jolie lary di lua (2)

E aí, gostaram da minha customização e do meu look ?


Páginas1234