Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 16/10/2018

Afim de ajudar pessoas que estão querendo fazer a mesma viagem e querem ter noção de custos e como se preparar para uma viagem para a Califórnia (ou viagens semelhantes), neste post fiz uma relação de todos os custos fixos que tive na minha viagem de 30 dias pela América do Norte.

Califórnia

  • San Francisco 5 dias
  • Dinuba 18 dias
  • Los Angeles 6 dias

Nevada

Las Vegas 3 dias

Arizona

Grand Canyon 1 dia

Passagens aéreas

De inicio pensei em comprar as passagens de ida e volta em cidades diferentes. Contudo, por conta do alto valor das passagens, acabei comprando a passagem de Goiânia a Los Angeles e Los Angeles a Goiânia. Comprei as minhas passagens pela Decolar, empresa aérea Delta, e custou R$2109 já com as taxas. Na ida o meu voo foi: Goiânia – São Paulo – Detroit – Los Angeles; e na volta foi: Los Angeles – Nova York – São Paulo – Goiânia. Como eu comecei minha viagem de San Francisco, comprei uma passagem, pela Delta, de Los Angeles a San Francisco por $45. E na hora do embarque paguei mais $25 para despachar minha bagagem. Nesses voos low cost é incluso apenas a bagagem de mão (10kg).

Hospedagens

Pesquisei muito e cheguei à conclusão que, não adianta, a melhor opção de hospedagem para quem viaja sozinha é ficar em Hostel (albergues). Diante disso, dei preferência para Albergues em regiões centrais ou perto da quantidade maior de atrações que eu iria, e que serviam café da manhã, para eu diminuir este custo.

Imagem Reprodução: Página Hi San Francisco Downtown

Em San Francisco: me hospedei no Hi San Francisco Downtown. Cinco diárias com café da manhã custou $239,46(paguei esse valor quando cheguei lá). O Hostel está localizado em 312 Mason St,  perto da Union Square, do Civic Center, do ponto inicial do bondinho, da estação Powell do Metrô e da ChinaTown. No café da manhã havia frutas (maçã e banana), pães, bagel, pasta de amendoim, geleia, leite, café e suco.

 

Imagem Reprodução: Página Walk of Fame Hostel

Los Angeles: me hospedei no Walk of Fame Hostel, localizado na Calçada da Fama, em frente à estação do metrô Hollywood/Higland, do Teatro Douby, do lado do El Captain, do lado de várias lojinhas. Escolhi ele por estar na Calçada da Fama e ter várias coisas para conhecer ali perto e por ser um ponto mais central. Seis diárias com café da manhã custou R$653,64 (pois paguei pelo cartão de crédito anteriormente). Café da manhã com banana, mexerica, pães, bagel, munfins (ameiii), geleias e cremes, café, leite e suco.

Dinuba: Fiquei no Gleanings for the Hungry, onde fui voluntária (saiba mais aqui). Fiz pelo Worldpackers e paguei $45 (R$180 ) de taxa anual para usar o site.

Las Vegas: me hospedei no Sin City Hostel, localizado na 1208 Las Vegas Boulevard South. Um pouco longe da Strip e impossível de ir para lá a pé, devido a distância e o calor. Não encontrei nenhum hostel na Strip que compensasse e como estive em Las Vegas durante o final de semana (quando as hospedagens ficam mais caras) ficava caríssimo ficar em Hotel. E o Sin City era o único hostel com café da manhã. Contudo, não compensou muito, pois perdi dois dias de café da manhã, o dia que fui para o Grand Canyon e o dia que fui para Los Angeles, pois ele só começava a ser servido às 8h (muito tarde para quem tem muita coisa para fazer como eu rs). Ahh, paguei R$368,92 (paguei pelo cartão de crédito antes de ir).

Deslocamentos

Mesmo perdendo três dias (no período da viagem) com deslocamento de uma cidade a outra, preferi isso a viajar a noite, por questão de segurança, medo hahaha, e porque assim eu conseguiria admirar a paisagem. De San Francisco/CA para Fresno/CA, de Fresno/CA para Las Vegas/NV, e de Las Vegas/NV para Los Angeles/CA viajei pela mesma empresa, a Greyhound, que tem linhas em quase todos os Estados Unidos e Canadá. Como comprei as passagens com antecedência, exceto a de Los Angeles, paguei relativamente barato, entretanto, como comprei pela internet, usei cartão de crédito e tive que pagar IOF.

Ponto negativo é que os ônibus atrasaram muito, fazendo com que eu perdesse ainda mais tempo da minha viagem.  No primeiro e segundo trecho, os ônibus foram vazios e fui em uma poltrona e minha mochila em outra rs.

Em breve a parte II deste post, com alimentação, seguro viagem e chip de internet

Leia todos os posts sobre minha viagem para a Califórnia e para Las Vegas/NV aqui


Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 27/09/2018

comemorei meu aniversário na Universal Studios Hollywood lary di lua

Este ano comemorei meu aniversário da melhor forma possível: no parque da Universal Studios Hollywood. Assim que comecei a preparar a viagem eu já tinha em mente que queria estar viajando durante meu aniversário, no dia 10 de maio. De inicio pensei em comemorar na Disney, pois seria o único parque que eu iria durante a viagem. Contudo, durante minhas pesquisas descobri que havia uma atração do Harry Potter no Universal (sim, na época da inauguração eu fiquei sabendo, mas depois eu esqueci totalmente) e na hora decidi que comemoraria meu aniversário lá.

Universal Studios Hollywood

comemorei meu aniversário na Universal Studios Hollywood lary di lua

Localização

O Universal Studios Hollywood está localizado em Universal City (onde fica todos os prédios e estúdios da Universal). O melhor é que ele fica dentro de Los Angeles mesmo e é possível chegar lá de metrô, que foi o que fiz. Peguei o metrô da linha vermelha no sentido North Hollywood Station  na estação Hollywood Highland, em frente meu Hostel. Na próxima estação, a Universal City eu desci. Assim que você sai do metrô você vê uma escada e uma passarela para atravessar a avenida, assim que você atravessa você já está no Universal City e lá na esquina tem os ônibus da Universal que te leva (de graça) até a entrada do parque. É uma subida longa e acho que ninguém sobe a pé.

comemorei meu aniversário na Universal Studios Hollywood lary di lua

Ingresso

Comprei o ingresso do parque na Virazóm, que é uma empresa brasileira que vende ingressos para parques em Real. No próprio site da Virazóm,você escolhe o dia que irá ao parque, a opção de pagamento (fiz depósito) e depois eles te enviam o voucher para apresentar no parque. Na época que fui, o ingresso para entrar no Universal  estava custando $107 e paguei R$ R$355 pela Virazóm.

comemorei meu aniversário na Universal Studios Hollywood lary di lua

Alimentação

Não sei se é porque o parque é pequeno, comparado a Disneyland, mas achei as opções de comida bem melhores. Por volta das 11h comi um cachorro quente + salgadinho, o qual paguei $7 no Suds McDuff’s Hot Dogs. E por volta das 14h comi frango empanado, batata frita e refrigerante no Jurassic Café, tudo deu $15,99.

Atrações

Eu amei o Universal Studios, e com certeza é um parque que irei voltar várias vezes na vida, se Deus quiser rsrsr. Contudo, a maioria das atrações são montanhas russas com simulação, o que eu achei ruim, pois sofro de enjoos rs. Então para não passar mal eu ia a uma atração, depois dava um tempo entrando nas lojinhas e passeando, pois não queria perder meu dia. Além disso, por também serem montanhas russas com simulação, não fui na atração do Transformers, nem do The Walking Dead.

Em relação a filas, na Universal tem opção de fila para quem está sozinho, pois a maioria das atrações tem a quantidade especifica de quantas pessoas podem ir por carrinho e eles sempre colocam pessoas que estão sozinhas para completar. Nisso eu sempre passava na frente haha.

As atrações que eu mais gostei foram:

Harry Potter and the Forbidden Journey™

comemorei meu aniversário na Universal Studios Hollywood lary di lua

É mágico! Você entra em Hogwarts e vai passando pelas salas do colégio, pelo Salão Comunal, e aí começa a viver algumas aventuras com o Harry, Rony e Hermione. Me senti o tempo todo como se eu estivesse em Hogwarts mesmo, vivendo uma aventura atrás da outra.  A atração é uma montanha russa com simulação.

comemorei meu aniversário na Universal Studios Hollywood lary di lua

 

The World-Famous Studio Tour

comemorei meu aniversário na Universal Studios Hollywood lary di lua

Incrível, incrível. Dentro de ônibus você vai passando pelas locações dos filmes e programas da Universal. Você pode ver , e sentir toda a adrenalina,passando pelo simulador do King Kong 360 3D, simulador de explosões, tsunamis e outros efeitos especiais.

Revenge of the Mummy℠ – The Ride

Em uma velocidade de até 45 km/h, em trechos de looping, você foge da vingança da Múmia passando por vários desafios.

Despicable Me Minion Mayhem

Quer se transformar em um Minion? a fila é gigante mas a atração é ótima também. Não é montanha-russa, mas é um simulador de realidade virtual aumentada.

Special Effects Show

No show é mostrado como alguns efeitos especiais são feitos, como gravidade zero, cenas de terror, entre outros. Vale muito a pena ver!

Universal’s Animal Actors

comemorei meu aniversário na Universal Studios Hollywood lary di lua

É o show dos animais atores da Universal.

Assista ao vlog na Universal aqui e aqui.

Confira também o post da Minha Primeira Vez na Disney

Já foi em algum Parque da Universal? Como foi? tem vontade de ir? Comente aqui


Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 22/08/2018

Esse post demorou mas saiu! Los Angeles foi a última cidade em que estive durante minha viagem dos sonhos para a Califórnia, que ocorreu entre abril e maio deste ano. Ao invés de fazer posts contando como foram meus dias na cidade,  como fiz com os posts de San Francisco (aqui), resolvi fazer posts com dicas sobre o que fazer na capital do cinema.

Saber mais sobre as estrelas no Observatório Griffith

O Observatório Griffith é um grande planetário de Los Angeles, localizado no parque de mesmo nome. No planetário, os visitantes tem acesso à telescópios gigantes, explicações e gráficos sobre a rotação da terra, dos planetas, surgimento das estrelas, enfim, tudo sobre os astros e como eles influenciam às mares ou as estações, por exemplo. A vista do observatório Griffith é linda, de um lado o letreiro de Hollywood, do outro Los Angeles vista de cima. entrada no planetário é gratuita, mas algumas palestras especificas são pagas. Além disso, o observatório foi locação de algumas cenas de La La Land.

 

No dia que cheguei em Los Angeles, o pessoal do The Walk of Fame Hostel ia para o observatório, aí aproveitei para ir com eles. Pegamos o metrô na estação Hollywood Highland e descemos na estação Vermont/Sunset Station. De lá, fomos até um ponto de ônibus em frente a estação e pegamos o ônibus Dash Observatory que vai até o Observatório. Assista ao vlog deste passeio aqui.

Se sentir uma patricinha de Beverly Hills

Atire a primeira pedra a pessoa que ama o filme “As Patricinhas de Bervely Hills” mas nunca teve vontade de conhecer o bairro Bervely Hills em Los Angeles, onde moram diversas celebridades.E é impossível estar na cidade do cinema e não querer ir conhecer esse bairro e tirar a típica foto no letreiro de Bervely Hills. O Letreiro está localizado na rua 9390 N Santa Monica Blvd, Beverly Hills , de lá é só atravessar a rua para começar a bater perna pela Rodeo Dr e se maravilhar com as decorações de lojas como Hermès, Chanel, Louis Vuitton, eu não entrei em nenhuma (claro hahaha), mas só olhar vale muito a pena.

Placa de Hollywood

Eu não tinha colocado esse ponto em meu roteiro, pois havia lido que precisa ter muita disposição para chegar no local. Contudo, acabei conhecendo duas brasileiras enquanto estava em Bervely Hills e acabei seguindo elas neste passeio. Fomos de carro até a Dr Street, lá estacionamos e fomos seguindo a pé até chegar no ponto onde está localizada o letreiro de Hollywood. Quase morri no meio do caminho, pois são uns 25 minutos a pé (não dá para ir de carro, pois não tem como estacionar o carro na estrada ou no local, por ser um bairro residencial e porque é proibido ficar andando por ali se você não é morador rs).

Visitar o The Broad Museum

Eu conheci o The Broad Museum, um museu de arte contemporânea, ao ver diversas imagens da xxx, essa instalação da foto abaixo e assim que decidi que iria para Los Angeles entrei no site para ver o valor da entrada, que não existe rsrs. Bem, na verdade a entrada para o museu é gratuita e apenas algumas exposições são pagas. Contudo, você precisa reservar com certa antecedência para não correr o risco de não entrar ou enfrentar uma fila enorme. Vale a pena visitar o The Broad, que tem mais 2.000 obras de arte em sua coleção, entre elas obras de artes famosas de Andy Warhol, Ellsworth Kelly, Sherrie Levine, entre outros.

A primeira imagem é da obra Tulipas, de  Jeff Koons.
Localização: 221 S Grand Ave, Los Angeles, CA 90012, EUA

Se sentir na Itália em Venice

Não tem como não se lembrar de Veneza estando em Venice, distrito a oeste de Los Angeles, isso porque o Venice Canal Historic District foram construídos em 1905 por Abbot Kinney, cujo objetivo era recriar o ambiente de Veneza na América do Norte. Contudo, eles só começaram a ser valorizados a partir de 1992, quando eles passaram por uma reforma. Vale a pena andar pelos canais observando as casas e os pequenos píeres no canal.

Assistir o pôr do sol em Santa Mônica

Localizada na região metropolitana de Los Angeles, Santa Mônica é famosa pelo seu Piér com inúmeras atrações, como o clássico carrossel, de 1922, localizado dentro de um salão; um aquário, lojas de lembrancinhas, restaurantes, e um parque de diversão. Aproveite um final de tarde para conhecer o lugar, evite os fins de semana (fui no sábado e estava lotado), leve lençóis ou canga e aprecie o pôr do sol com a imagem da roda gigante do Pacific Park ao lado.

Já foi a Los Angeles e fez alguns destes passeios? Nunca foi, mas tem vontade de conhecer a capital do cinema? Comente aqui


Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 29/06/2018

No dia 18 de abril, tomei o café da manhã às 8h, fiz o checkout do Hi San Francisco Downtown e pedi um Lyft (aplicativo de carro particular similar ao uber) para ir à estação da Empresa Greyhound, onde peguei um ônibus rumo à Fresno. O ônibus deveria sair às 11h e chegar em Fresno às 16h, mas o motorista se atrasou e cheguei na cidade às 17h30, onde o Rod, que trabalha no Gleanings, e a Heidy, uma brasileira que era voluntária no Gleanings, já me esperavam. No caminho descobri que o Gleanings não ficava em Fresno/CA como pensei, e sim em Dinuba, uma cidadezinha pequena, também na California, a 40km de Fresno.

Fiquei dezesseis dias no Gleanings for the Hungry e foi uma experiência incrível. Melhorei meu “listen”, ajudei nas tarefas, lavei baldes, limpei quartos, embalei produtos para um preparo de sopa, conheci pessoas que levarei para sempre no meu coração, pude vivenciar o dia a dia em uma comunidade de voluntários e foi importante em uma causa linda, pela qual o Gleanings trabalha.

Espaço onde a sopa é embalada | Lavagem de baldes em que os pêssegos são colocados

O Gleanings é uma comunidade de missionários que trabalham para enviar comida para países com extrema pobreza, principalmente os países africanos. No verão eles plantam pêssegos e depois os enviam secos em baldes para estes lugares, e no restante do ano eles fazem um preparo para sopa, composto por mix de vegetais desidratados. Desse modo, sempre tem voluntários no local para ajudar nos trabalhos, principalmente pessoas da terceira idade e mochileiros de vários lugares do mundo rs.

Eu e a Heidy, uma brasileira que estava no Gleanings como voluntária também

Eu conheci o Gleanings por meio do site Worldpackers, que é uma comunidade baseada na colaboração. O Worldpackers ofertam vagas no mundo todo para você trocar trabalho por hospedagem. Eu procurava um local que eu pudesse dormir em troca de trabalho na California, como uma forma de economizar na viagem, quando encontrei o Gleanings, que era muito mais do que eu procurava.

Paguei a taxa do Worldpackers no valor de $40, na época deu R$139,07, pois paguei com o cartão de crédito, me candidatei ao Gleanings e fui aceita. Contudo, você não precisa ir para lá apenas pelo Worldpackers, pode entrar em contato diretamente com eles e pagar uma taxa de $100 para ficar um mês lá trabalhando, o que também compensa muito.

O voluntário trabalha de segunda a sexta e recebe hospedagem e cinco refeições diárias. Os finais de semana são livres, e as pessoas podem ir ao Sequoias National Park, que fica a 1h de distância, ou ao Yosemite, que fica a 2h. Infelizmente não consegui ir em nenhum dos dois, pois nos finais de semana que eu estava lá, ninguém foi e eu não tinha carro. Porém, fui em um festival de foguete com churrasco americano e amei :).

Como meus dias no Gleanings era bem “rotineiros” gravei apenas dois vídeos lá, um geralzão mostrando como era a comunidade, o que eu fazia e tal, e um explicando como eu havia conseguido aquele voluntariado. Então se você ficou curioso para saber mais, assista à estes vídeos abaixo:


Páginas123