Por Di Lua, sobre Cinema
Dia 23/05/2013

Quase famosos ( Almost Famous) é um filme diferente dos demais dedicados ao rock, ao invés de centrar a historia na decadência moral causada pelas drogas e em dramas pessoais, o filme do diretor Cameron Crowe encanta por ser uma homenagem do período musical retratado, final dos anos 70 e o inicio dos anos 80. O filme conta a história de William Miller (Patrick Fugit) de 15 anos que acompanha a turnê da banda Stillwater pelos Estados Unidos. O roteiro é baseado na experiência de Crowe como repórter da Rolling Stone. A trilha sonora é impecável, uma marca do cineasta , são músicas que casam perfeitamente com a narrativa, com destaque para a trilha do ônibus. Após passar a noite em uma festa regada a LSD, o guitarrista Russell Hammond (Billy Crudup) é levado por seu empresario ao ônibus da banda, onde o clima pesado aos poucos dá lugar a harmonia de seus ocupantes, que fazem as pazes cantando Tiny Dancer de Elton John. Quase Famosos é uma viagem fantástica à uma era perdida do rock.”

Por Jota Junior
Eu sempre fui fascinada por esse lado do rock, o início da banda, a vida dentro do ônibus, a fase antes do sucesso, as groupies. Quase Famosos mostra esse lado, e quando você percebe já está apaixonado pela história, pela Penny Lane (Kate Hudson) e/ou pela experiência que eles estão vivendo ( e aqui não me refiro a parte das drogas e outros excessos, mas sim da questão da aventura e do cenário musical da época). E o interessante, é que muitas coisas no filme são baseados na realidade como a própria Penny que realmente existiu, e foi uma das primeiras paixões de Crowe em sua juventude; a banda fictícia Stillwater é uma mistura de três grupos que Crowe adorava: Led Zeppelin, The Allman Brothers Band e Lynyrd Skynyrd; A cena em que o guitarrista Russell Hammond, após tomar LSD grita em cima de um telhado “Eu sou um deus dourado” foi protagonizada na verdade por Robert Plant, cantor do Led Zeppelin, no topo de um hotel de Los Angeles; O personagem interpretado por Phillip Seymour Hoffman também é verídico: o crítico Lester Bangs, que faleceu em 1982, e é considerado até hoje como um dos “papas” do jornalismo musical estadunidense.

William Miller

 

Sttiwalter e as groupies
Baixe Quase Famosos em torrent aqui

Por Di Lua, sobre Cinema, Uncategorized
Dia 13/05/2013

Psicose é um filme norte-americano de 1960, dirigido por Alfred Hitchcock, clássico de terror dos cinemas. O roteiro do filme originou do livro de Robert Bloch, o qual Hitchcock havia comprado os direitos autorais anonimamente. Ele pagou onze mil dólares e depois comprou todas as cópias disponíveis no mercado para que ninguém o lesse e, consequentemente, seu final não fosse revelado. O filme faz parte da lista dos 100 maiores filmes de todos os tempos, pelo Instituto Americano de Cinema.

Sinopse   
Marion Crane é uma secretária (Janet Leigh) que rouba 40 mil dólares da imobiliária onde trabalha para se casar e começar uma nova vida. Durante a fuga à carro, ela enfrenta uma forte tempestade, erra o caminho e chega em um velho hotel. O estabelecimento é administrado por um sujeito atencioso chamado Norman Bates (Anthony Perkins), que nutre um forte respeito e temor por sua mãe. Marion decide passar a noite no local, sem saber o perigo que a cerca. E é a partir daí que começa toda a ação do filme, cercada de suspense e transtornos psicológicos.


Curiosidades

  • Psicose foi feito em preto e branco porque o diretor temia que a cena do chuveiro ficasse chocante demais com o vermelho do sangue;
  • Hitchcock aparece no filme durante aproximadamente quatro minutos, do lado de fora do escritório em que Marion trabalha, e ele está usando um chapéu de Cowboy;
  • A cena do chuveiro demorou sete dias para ser filmada, e utilizou 70 diferentes posições de câmera.
  • Esta mesma cena, é uma das mais famosas e satirizadas na história do cinema;
  • Houve três sequências: Psicose 2, lançada em 1983, Psicose 3 em 1986, e o capítulo final foi lançado em 1990. Houve também um especial chamado Bates Motel em 1987 e um remake em 1998.
Baixe Psicose em torrent aqui.


Por Di Lua, sobre Cinema, Diário de Goiânia
Dia 15/06/2012
Faço parte de um Grupo de Criação e Produção em Cinema pela PUC GO, há um ano estamos trabalhando em um documentário que retrata a vida de pessoas portadoras do Xeroderma Pigmentoso.  O documentário Sol Inimigo – O drama do povo no Recanto das Araras será lançado durante o Festival Internacional de Cinema e Video Ambiental (FICA), que acontece todos os anos na Cidade de Goiás – GO.
Sinopse: Sol Inimigo – O drama do povo no Recanto das Araras mostra o dia-a-dia dos portadores do Xeroderma Pigmentoso (XP), uma doença genética rara, hereditária e sem cura, que atinge parte das pessoas no Recanto das Araras, povoado do município de Fainas (GO).  A comunidade de Araras surgiu na década de 60, ramificado de famílias rurais e casamentos consanguíneos, entre primos, um costume decorrente do isolamento geográfico, além dos laços afetivos. E são essas uniões conjugais que favorecem a incidência do XP. Sem muita assistência e condições financeiras muitos portadores da doença encontram no trabalho braçal a única forma de renda, expondo a pele ao principal inimigo da doença, o sol.
Lançamento: Documentário Sol Inimigo — O drama do povo no Recanto das Araras
Data: 28/06/12
Horário: 19 horas
Local: Casa da Cora
Coralina, Cidade de Goiás
Estamos divulgando o máximo do documentário, nos ajudem também.
blog: http://solinimigo.blogspot.com.br/
Se você tiver facebook acesse:
http://www.facebook.com/profile.php?id=100003978162985
http://www.facebook.com/SolInimigo

Páginas1234567