Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 24/07/2018

Assim que eu comecei a planejar minha viagem de fato e de ter decidido que esticaria até Las Vegas, o Grand Canyon logo veio a minha cabeça. Contudo, eu só encontrava relatos de pessoas que tinham ido até o local de carro e não de ônibus e foi aí que intensifiquei minhas pesquisas, para saber se tinha como ir de ônibus, sozinha, de excursão.

Como ir ao Grand Canyon de ônibus saindo de Vegas?

Encontrei vários nomes de empresas que faziam esse tour, e aí veio outra dúvida: comprar daqui ou deixar para comprar lá. Mas faltando cerca de um mês, entrei no Groupon dos Estados Unidos e encontrei uma oferta de $94 pela empresa Grand Canyon Company Tour, como eu já tinha ouvido falar desse empresa, comprei. Enviei um email para eles antes, perguntando o que eu precisaria fazer depois de comprar o voucher, e eles me responderam falando que era só enviar um email para eles para trocar o voucher do Groupon pelo ticket deles, e foi o que eu fiz.

Cheguei em Las Vegas em uma sexta a noite e fiz este passeio no domingo, 6 de maio. Combinei com a empresa de pegar o ônibus às 6h em frente ao Stratosfere Las Vegas, que era o hotel mais próximo do hostel que eu estava, o Sin City. O ônibus saiu por volta das 06h20 do local, pegou passageiros em outros hoteis, passou na sede da empresa para confirmação do cadastro, pagamento e para o café da manhã (café, água e uns croissants doce), que estava incluso na compra do ticket. Já era 8h da manhã quando saímos de Las Vegas rumo ao Grand Canyon. Por volta do 12h paramos no restaurante Rodeo em Williams para o almoço Buffet, que estava incluso no pacote e chegamos no Parque Nacional do Grand Canyon – South Rim por volta das 14h30.

Williams

O Grand Canyon, uma das sete maravilhas do mundo natural, é uma formação rochosa, que resultou de processos erosivos, principalmente pelas águas do rio Colorado, chuva, neve e vento. Sua história começou a mais de 2 bilhões de ano quando rochas ígneas e metamórficas foram formadas. E a 6 milhões de ano ele vem sendo esculpido pelo Rio Colorado, que atravessa a região mais árida da América do Norte, o Arizona. O Grand Canyon possuí 445km de comprimento.

 

Chegar no Grand Canyon é um misto de alegria e emoção. A gente perde as formações rochosas de vista e em alguns pontos é possível avistar o Rio Colorado traçando seu caminho entre os canyons. Me senti tão pequena naquele lugar tão gigante. Valeu muito a visita. Fiquei andando pelo Parque Nacional (que conta com loja de lembrancinhas, lanchonete e um Museu onde é possível entender como o Grand Canyon se formou) té às 17h, quando o ônibus saiu de lá para voltar para Vegas. Teve uma parada para lanche, em uma cidade que não lembro o nome, e passamos pela Hoover Dam na volta, estava iluminada, mas não dá para ver muita coisa. Chegamos em Vegas por volta das 22h, e fui direto para o Hostel dormir.


Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 11/07/2018

Vai para Las Vegas mas não gosta muito de balada? ou vai com crianças? apesar de conhecida como uma cidade para adultos, em Vegas há atrações para todas as idades, e muitas gratuitas. Vejam:

Se perder nos hotéis da Strip

Las Vegas é conhecida como Sin City, a cidade do Pecado, que nunca dorme, como parque de diversão para adultos, e é mesmo. Contudo eu diria mais, Las Vegas é a cidade dos hotéis mais grandiosos deste mundo. É um mais maior que o outro, mas imponente, mais grande, mais cheio de atração que o outro, e só de dizer isso vocês já percebem que eu amei essa parte da cidade. E em quase todos os hotéis de Vegas há cassinos, variedade de lojas e atrações.

Os que eu mais gostei foram:

Caesars Palace

Bellagio

The Venetian

New York New York

Tentei entrar em todos, mas não consegui fazer isso em apenas dois dias.

Conhecer a loja do Trato Feito

Eu amo assistir o programa Trato Feito do History Channel e assim que comecei programar a viagem coloquei a visita à Gold & Silver Pawn Shop no meu roteiro de Vegas. Sim! a loja que ganhou um programa de TV, comandada pela família Harrison há três gerações fica na cidade do pecado e qualquer pessoa pode visita-la diariamente das 9h às 21h. A loja é gigante e dividida por áreas, não pode filmar lá dentro, mas é permitido tirar fotos. Na minha inocência achei que encontraria algum membro da família Harrison durante a visita, mas depois descobri que isso é quase o mesmo que ganhar na loteria hahaha.

A Gold & Silver Pawn Shop fica a 8 minutos caminhando do Sin City Hostel, e por isso fui a pé.

Endereço exato: 713 S Las Vegas Blvd, Las Vegas,

Ver o Show das fontes do Bellagio

Eu já tinha visto este show em vídeos pela internet, mas assistir as águas dançando ao som da música é incrível, tanto que assisti durante o dia duas vezes e durante a noite. O Show das Águas do Bellagio é magnifico e emocionante e te faz entrar no clima da cidade, que nunca para. A cada apresentação, que ocorre de hora em hora depois das 11h, uma música e coreografia diferente. Assista aqui!

Horários

Segunda a Sexta: 15h – 20h shows de 30 em 30 minutos
20h – 24h shows de 15 em 15 minutos

Sábado e feriados: 12h – 20h shows de 30 em 30 minutos
20h – 24h shows de 15 em 15 minutos

Domingo: 11h – 19h shows de 30 em 30 minutos
19h – 24h shows de 15 em 15 minutos

Assistir ao “The Fall of Atlantis Show “

A atração retrata a rivalidade dos dois filhos do Rei Atlas,  e como a ganância e desejo de poder de ambas acabou levando Atlântida ao declínio. Apesar de um pouco longo, gostei muito dos efeitos de água e fogo utilizado na atração e é uma ótima alternativa gratuita para quem não vai ver nenhum show ou teatro em Vegas.

O “The Fall of Atlantis Show” ocorre de hora em hora, entre às 11hs e 22hs (sextas e sábados até as 24hs) no  Forum Shops, um shopping dentro do Caesars Palace.

Passear pela Fremont Street, berço dos Cassinos de Vegas

Foi na Fremont Street que surgiu Os primeiros cassino de Vegas surgiu na Fremont Street, lugar que andou por muitos anos em decadência, mas que hoje atrai muitos visitantes. A principal atração do local é o gigantesco painel de led que cobre toda a rua, que é cheia de shows, artistas de rua caracterizados, lojinhas de souvenires, entre outros. Ahh dá para atravessar a Fremont Street de tirolesa.

E você, já foi em Vegas? do que mais gostou?


Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 29/06/2018

No dia 18 de abril, tomei o café da manhã às 8h, fiz o checkout do Hi San Francisco Downtown e pedi um Lyft (aplicativo de carro particular similar ao uber) para ir à estação da Empresa Greyhound, onde peguei um ônibus rumo à Fresno. O ônibus deveria sair às 11h e chegar em Fresno às 16h, mas o motorista se atrasou e cheguei na cidade às 17h30, onde o Rod, que trabalha no Gleanings, e a Heidy, uma brasileira que era voluntária no Gleanings, já me esperavam. No caminho descobri que o Gleanings não ficava em Fresno/CA como pensei, e sim em Dinuba, uma cidadezinha pequena, também na California, a 40km de Fresno.

Fiquei dezesseis dias no Gleanings for the Hungry e foi uma experiência incrível. Melhorei meu “listen”, ajudei nas tarefas, lavei baldes, limpei quartos, embalei produtos para um preparo de sopa, conheci pessoas que levarei para sempre no meu coração, pude vivenciar o dia a dia em uma comunidade de voluntários e foi importante em uma causa linda, pela qual o Gleanings trabalha.

Espaço onde a sopa é embalada | Lavagem de baldes em que os pêssegos são colocados

O Gleanings é uma comunidade de missionários que trabalham para enviar comida para países com extrema pobreza, principalmente os países africanos. No verão eles plantam pêssegos e depois os enviam secos em baldes para estes lugares, e no restante do ano eles fazem um preparo para sopa, composto por mix de vegetais desidratados. Desse modo, sempre tem voluntários no local para ajudar nos trabalhos, principalmente pessoas da terceira idade e mochileiros de vários lugares do mundo rs.

Eu e a Heidy, uma brasileira que estava no Gleanings como voluntária também

Eu conheci o Gleanings por meio do site Worldpackers, que é uma comunidade baseada na colaboração. O Worldpackers ofertam vagas no mundo todo para você trocar trabalho por hospedagem. Eu procurava um local que eu pudesse dormir em troca de trabalho na California, como uma forma de economizar na viagem, quando encontrei o Gleanings, que era muito mais do que eu procurava.

Paguei a taxa do Worldpackers no valor de $40, na época deu R$139,07, pois paguei com o cartão de crédito, me candidatei ao Gleanings e fui aceita. Contudo, você não precisa ir para lá apenas pelo Worldpackers, pode entrar em contato diretamente com eles e pagar uma taxa de $100 para ficar um mês lá trabalhando, o que também compensa muito.

O voluntário trabalha de segunda a sexta e recebe hospedagem e cinco refeições diárias. Os finais de semana são livres, e as pessoas podem ir ao Sequoias National Park, que fica a 1h de distância, ou ao Yosemite, que fica a 2h. Infelizmente não consegui ir em nenhum dos dois, pois nos finais de semana que eu estava lá, ninguém foi e eu não tinha carro. Porém, fui em um festival de foguete com churrasco americano e amei :).

Como meus dias no Gleanings era bem “rotineiros” gravei apenas dois vídeos lá, um geralzão mostrando como era a comunidade, o que eu fazia e tal, e um explicando como eu havia conseguido aquele voluntariado. Então se você ficou curioso para saber mais, assista à estes vídeos abaixo:


Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 19/06/2018

Como meu Muni Pass havia encerrado, no meu último dia em San Francisco decidi ir em lugares próximos ao meu Hostel e que dava para eu ir a pé. Por isso, assim que tomei meu café da manhã fui direto para a ChinaTown.

Depois de uns 10 minutos a pé, cheguei na Fortune Cookies, uma fábrica de biscoitos da sorte, onde é possível ver como eles são feitos. Aproveitei e comprei uma caixinha com 16 biscoitos para trazer para casa, mas quase todos chegaram quebrados após mais de 20 dias de viagem rsrs.

Há uma infinidade de lojas de roupas, acessórios e decorações na ChinaTown, e se você não se ligar no tempo e querer entrar em todas, assim como eu, vai perder seu dia lá hahaha. É um ótimo local para comprar lembrancinhas de San Francisco, pois é bem mais em conta do que nos outros lugares (Ok que é da China, mas todas as outras lembrancinhas que vi na minha viagem, de modo geral, também eram da China). Voltei da ChinaTown pela Grant Avenue, e terminei aquele passeio na Dragon’s Gate (Portão do Dragão), que é um portão de “entrada” do bairro chinês de San Francisco.

Depois de almoçar torrada, ovos e bacon no Café Bellini com um suco de laranja, fui para o Hi San Francisco Downtown guardar minhas sacolas e descansar um pouco. Por volta das 15h, decidi dar uma volta pela região da Union Square, e fui pela última vez na Ross da cidade (vale a muito a pena para quem quer comprar coisas de marca e pagar um preço baixo por isso, mas tem que ter paciência para olhar tudo), Target, e aproveitei para entrar no Westfield Center, que até então só passava na porta.

No dia seguinte, peguei um lyft até a Estação da Greyhound (linha de ônibus intermunicipal e interestadual, que tem em quase todo os Estados Unidos) e de lá peguei meu ônibus para Fresno/CA, onde eu faria meu voluntariado.

Ficou curioso para saber mais sobre a ChinaTown? Assista ao vlog deste dia:


Páginas12345... 16»