Por Di Lua, sobre Uncategorized
Dia 04/11/2013
Quem aqui conhece a rede Spoleto ? A Spoleto é uma rede de restaurantes brasileira que une o conceito de fast-food com a culinária italiana.
Na sexta-feira (01) eu fui no lançamento do primeiro prato de carne do cardápio. O Spezzatino é a versão italiana do picadinho e vem com dois molhos exclusivos,  ao molho de Gorgonzola ou ao molho de Tomate.

Ao molho gorgonzola                                                      Ao molho de tomate
Eu experimentei ao molho de tomate e adorei. Além disso, na compra do Spezzatino mais uma bebida você leva uma latinha decorada pela artista Lynn Court, que levam um delicioso biscoito típico da Itália.


Dia 05/05/2013
As vezes eu reclamo, quero fazer as malas e me mudar para bem longe, mas a verdade é que amo minha cidade e sei que ela tem problemas assim como toda capital. Então, o post hoje é uma listinha sobre o quê há de bom em Goiânia, uma iniciativa da Nadima Chalup.

1- Um bom boteco



O Birutão que fica na Avenida Independência, em frente ao Wall Mart. As más línguas dirão que lá é ruim, mas discordo totalmente. É um bar bem eclético  até porque tem menu musical, e com certeza você vai ouvir desde o rock do AC/DC até o sertanejo do Fernando e Sorocaba. A comida é ótima, e a porção de batatinha frita com bacon e queijo é a melhor que eu já comi. Além disso tem a melhor caipivinho de Goiânia. Endereço: Av. Independência, 69, Setor Central.

2- Comida típica




Empadão Goiano, que é uma empada recheada com milho, frango, mussarela, linguiça de porco, azeitona, e em muitos casos com pequi que eu já não gosto.

3- WWW




Gyn da depressão, que é uma página no Facebook que solta “pílulas IRÔNICAS” sobre o mundinho goiano”. Goiano curtir de suas manias pode, outras pessoas não.

4- Lugar para curtir uma boa música


Café Nice, um ambiente tranquilo com ótimas músicas de fundo para uma boa noite de conversa. Cada dia da semana uma programação diferenciada. Ah e tem um visual bem legal, as paredes são repletas de caricaturas de bandas, cantores e celebridades. Endereço: Avenida T-11, esquina com T-36 Qd. 112 – Lt. 03 – nº 110 – Setor Bueno.

5- Expressão típica
Uai é uai, uai. Não conheço um goiano que não fale “uai”, uma expressão que não tem tradução. Utilizo bastante em exemplificações ou explicações srsrs:
-Laryssa o quê é Empadão Goiano?
-Uai, é uma torta de frango com ….

-Laryssa por que você não foi na festa ontem ?
-Uai, eu cheguei tarde do trabalho e ….

Entenderam o uso do uai?

6- Não existe em nenhum canto do planeta, só em Goiânia




Laranjinha. Não, não é laranja pequena não. Você deve conhecer como sacolé, din din, geladinho, gelado ou chup-chup, mas em Goiânia é Laranjinha. Vez ou outra você se depara com um moço vendendo laranjinha no carrinho. Eu adoro a de maracujá com leite.



7- Uma banda




Pedra Letícia, uma banda goiana de rock formada em 2005. Suas músicas combinam melodia com sátiras ao estilo de vida goiano, como “Camioneta Zero”, a sociedade e todo o resto. Ouça também “Teorema de Carlão”, “Como Que Ocê Pode Abandoná Eu”, “Eu sou Pedreiro”.
Pedra Leticia by Laryssa Gomes on Grooveshark



8- Um lugar para tomar café e jogar conversa fora
Nessa eu fiquei um bom tempo pensando e não consegui decidir…, vou ficar devendo essa.

9- Bom e barato




Nesse item vou citar dois lugares. Primeiro os parques, sim, Goiânia tem muitos e um mais lindo do que outro. A minha dica é pegar um lençol, uns lanchinhos e ir para o Parque Flamboyant no final da tarde, o por do sol no lago é perfeito, e proporciona uma paz interior. 
A outra dica é em relação as compras. A Feira Hippie já é nacionalmente conhecida, mas só funciona no final de semana (da noite de sábado até as 15:00 do domingo). Mas se você vem na cidade durante a semana, você tem uma opção melhor ainda: a 44, que é uma região localizada ao lado onde acontece a Feira Hippie, perto da Rodoviária de Goiânia (Setor Rodoviário). Hoje a 44 representa um grande polo industrial de moda de Goiás, e recebe sacoleiros do Brasil todo.



10- Você não pode ir embora de Goiânia sem conhecer

Vou pegar carona na indicação da Nadima, o Centro. No entanto sugiro que você faça duas visitas ao centro da cidade, primeiro em um dia da semana para ver o grande movimento da cidade, observar as pessoas em sua “loucura cotidiana” e conhecer personalidades. Eu adoro fazer isso, principalmente quando estou para baixo, gosto de ver que no fundo todo mundo é humano, ou seja, todo mundo tem problemas. 
Divagações interna a parte, volte no Centro no domingo a tarde, quando provavelmente só terá você na rua, e observe a arquitetura Art Déco da cidade, preservada principalmente na região da Praça Cívica até o monumento do Bandeirantes, descendo pela Avenida Goiás. Ah faça isso a pé e com calma.
*fotos retiradas da internet

Páginas123456789