Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 16/01/2015

No inicio do ano, fui com a família à Cachoeira do Maratá, localizada em Pires do Rio/GO a 145 km de Goiânia. A Cachoeira, principal ponto turístico da cidade, oferece 55 metro de queda d’água, contato com a natureza e um ambiente bastante familiar.

No meio do cerrado, bioma característico do Centro-Oeste, a cachoeira do Maratá está localizada a 17 quilômetros de Pires, em uma propriedade particular, na Rodovia GO – 309 ( Pires do Rio – Caldas Novas). No local há um restaurante que oferece pratos da culinária goiana, petiscos, entre outros.

Para passar o dia na cachoeira é cobrado uma taxa de R$15,00 ( por pessoa), e o horário de funcionamento é das 8:30 – 18:30 aos sábados, domingos e feriados.

 

 

 

 


Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 18/02/2014

Caldas Novas Rio Quente lary di lua (23)

Conheço bastante lugares no Brasil, mas conheço principalmente meu Estado. E a cidade de hoje é conhecida nacionalmente como o Paraíso das Águas Quentes, e que eu curti esses dias.

Caldas Novas (152km da capital) é uma das maiores estância hidrotermal do mundo, com águas que brotam do chão a temperaturas que variam de  28° a 60°C. E o turismo é a principal fonte de renda da cidade, que conta com diversos Resorts, hotéis, pousadas, clubes, entre outros. Fazendo divisa com Caldas, está Rio Quente ( 135km de Goiânia), município que abriga o complexo turístico Rio Quente Resorts, empresa dona do Hot Park, e que também têm as mesmas características termais de Caldas.
Caldas Novas Rio Quente lary di lua (24)
As principais atrações da cidade são: a Serra de Caldas, o Lago de Corumbá, Hot Park. E as principais festas são o Caldas Country (Festival de música sertaneja), Carnaval, entre outros feriados.
Conheça um pouco do Hot Park nesse vídeo que eu gravei em agosto de 2013.
História
As águas quentes da região de Caldas Novas e Rio Quente foram citadas  por volta do ano de 1545 pela primeira vez em uma publicação espanhola.
Em 1722, o filho do bandeirante Anhanguera, Bartolomeu Bueno Filho, veio com sua tropa explorar a região. Segundo a história, seu cachorro fugiu e acabou entrando em um rio quente, com água escaldante e começou a “gritar”. Ao ouvir o desespero do animal, o bandeirante  foi ver o que estava acontecendo, e logo percebeu que se tratava de um rio de água quente. Com os anos, a história foi se espalhando e a região começou a receber turistas do mundo todo.
Caldas Novas Rio Quente lary di lua (1)
Formação das Águas Quentes
Furnas já realizou um grande estudo sobre as águas de Caldas Novas. Segundo os estudos, o fenômeno das águas quentes ocorre devido a características geológicas e topográficas bastante particulares da região. As águas são aquecidas com o calor de camadas profundas do interior da Terra.
No subsolo da região se encontra muito xisto e quartzito, minerais constituídos por camadas impermeáveis. O xisto é uma formação rochosa mais plástica, ou seja, mais moldável pelas forças exteriores. Já o quartzito é uma rocha mais rígida, sob pressão, permitindo a formação de grandes conjuntos de fraturas. Nessas fraturas de quartzito as águas termais encontram as condições ideais para se formarem.
Caldas Novas Rio Quente lary di lua (10)
Com a infiltração da água da chuva no topo das Serras de Caldas e da Matinha, a água quente, confinada sob as camadas de xisto e quartzito, fica submetida a uma pressão muito grande.Essa água se infiltra por fraturas que atravessam os xistos, interligando a superfície do solo aos quartzitos, permitindo que a água quente, aflore naturalmente.
 Essa água sob pressão também pode ser captada antes de “brotar”, através de bombas instaladas em poços, como é o caso dos hotéis e clubes da cidade.
Caldas Novas Rio Quente lary di lua (21)
Caldas Novas Rio Quente lary di lua (22)
Fotos: Laryssa Machado
Fonte: Caldas Web, Wikipedia, Super Interessante
Este não é um Publieditorial

Por Di Lua, sobre Diário de Viagem, Uncategorized
Dia 30/07/2013
Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros
Quer conhecer a Chapada dos Veadeiros? Programe uma semana, e mesmo assim você não conhecerá nem a metade das atrações. Há mais de 100 cachoeiras, muitas em propriedades particulares, que cobram pequenas taxas para visitação. Fui quinta e voltei no domingo, e consegui ir em apenas dois lugares, o Vale da Lua e no Salto do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Para chegar na maioria das cachoeiras é preciso percorrer trilhas de difícil acesso, então não dá para conhecer mais de duas no mesmo dia.

Vale da Lua

O Vale da Lua localizado a 11 km do povoado de São Jorge, é um conjunto de formações rochosas causada pelo trabalho das águas do rio São Miguel. O lugar recebeu este nome por lembrar a paisagem lunar, há crateras e galerias subterrânea escavadas pelo atrito da areia (levada pela água) com as rochas. A trilha para chegar ao vale é de fácil acesso, no entanto para passar de um piscina natural (lugares apropriadas para banho) para outra é mais complicado, pois é preciso subir pelas pedras. Como a atração está localizada em uma propriedade particular e necessário pagar uma taxa ( no momento é R$ 10,00).

Salto de 120m
No Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, fizemos a trilha que levava aos saltos de 120m e 80m do Rio Preto. Com cerca de duas horas de caminhada, percorremos um trilha um tanto “pesada”, haja folego e preparo físico. Mas o resultado final vale a pena, o lugar é de uma beleza incrível.
Pousada em formas de disco voadores – Luna Zen
Diferente do mostrado na mídia no ano passado, nem todas pousadas tem formato diferentes (disco voadores e piramides), mas a maioria tem um toque especial. Fiquei hospedada na Pousada Conquista do Paraíso, que é muito organizada e aconchegante. Os donos, Sr. Beto e D. Sonia, são super gente boa, davam dicas de passeio, estavam sempre dispostos a ajudar , e ainda prepararam uma fogueira de despedida em nossa última noite.
Pousada em que fiquei e indico

Alto Paraíso – Parte I


Páginas123