Por Di Lua, sobre Música, Uncategorized
Dia 03/11/2010

RPM (Revoluções por minutos) foi uma banda de rock nacional surgida em 1985, sendo uma das mais sucedidas da história da música no Brasil, batendo o recorde de vendagens na década de 80.
Em 1976, Paulo Ricardo estava começando sua carreira como critico musical, e em uma visita a sua então namorada Eloá, conheceu o vizinho dela, Luiz Schiavon, que era um pianista clássico.Depois de muita conversa, Paulo recebeu o convite para integrar o “Aura”, uma banda de jazz-rock, que tinha também Paulinho Valenza na bateria.Depois de três anos de ensaios e nenhum show, Luiz encantou-se pela música eletrônica e pela tecnologia de novos sintetizadores, enquanto Paulo decidiu morar na Europa, de onde escrevia sobre novidades musicais para a revista Somtrês e se correspondia com frequência com Schiavon.
Nos fins de 1983 já em São Paulo, a dupla retomou seus trabalhos, criando posteriormente o RPM. Juntos criaram as primeiras canções como, “Olhar 43”, “A Cruz e A Espada” e a música que batizou a banda: “Revoluções por Minuto”. Eles gravaram uma demo, e encaminharam à gravadora CBS, que considerou músicas difíceis de tocar nas rádios.O nome 45 RPM (45 rotações por minuto) foi sugerido inicialmente em uma lista de nomes feita por uma amiga. Schiavon e Paulo gostaram do nome, mas tiraram o 45 e mudaram o Rotações por Revoluções. Convidaram Fernando Deluqui, guitarrista, e o baterista Charles Gavin.
Em 1984, eles conseguiram um contrato com a gravadora Sony Music. O compacto viria com as faixas “Louras Geladas” e “Revoluções por Minuto”, que foi censurada na época. “Louras Geladas” caiu no gosto do público de todo o país e levou a banda a gravar o seu álbum de estreia, já com o baterista Paulo P.A, pois Charles Gavin tinha ido para os Titãs. A banda lançou dois álbuns, em 1985 o Revoluções por Minuto, que contava com ” Olhar 43″, hit que emplacou nas rádios, abrindo caminho para outras músicas. As faixas do disco tratam também de temas como política internacional e transformações sócio-econômicas. As músicas são marcadas pela forte presença da bateria eletrônica. Depois dos primeiro shows, a banda fecha contrato com Manoel Poladin. Paulo Ricardo passa a estampar diversas capas de revistas e enlouquece garotas histéricas, se transformando em um sex symbol. Poladian, músicos e gravadora lançam em julho de 1986, um novo álbum, o Rádio Pirata ao Vivo.
O fracasso do projeto RPM Discos, um selo próprio do grupo, acabou causando conflitos entre seus integrante, e em 1987 eles anunciam a separação. Mas, o grupo retomou as atividades em 1988, com o álbum “RPM” (mais conhecido como Quatro Coiotes), com uma tiragem inicial de 250 mil cópias. Em algumas rádios o disco chegou a ser executado por inteiro em meio à programação. Em 1993, é lançado Paulo Ricardo e RPM, disco que não contou com Luiz Schiavon e Paulo P.A. Pagni, mas é considerado por muitos como o terceiro disco de estúdio da banda. Com Paulo Ricardo (voz e baixo), Fernando Deluqui (guitarras), Marquinho Costa (bateria) e Franco Júnior (teclados), este é o mais pesado da banda, que apostou em guitarras pesadas e solos bem construídos por Deluqui.
Os quatro músicos do RPM se encontraram novamente para ensaiar, em 2001, e lançaram o single “Vida Real”, que foi tema da abertura do reality Big Brother Brasil. A banda voltou à mídia com o CD e DVD MTV RPM 2002, gravado no Teatro Procópio Ferreira, em São Paulo, e que vendeu mais de 300.000 mil cópias, obtendo o disco de platina. Mas em 2003 eles se separam novamente.
Em 2007, oRPM tocou junto com todos os seus integrantes em São Paulo. Mais tarde eles anunciaram o lançamento de uma caixa com os 3 primeiros álbuns da banda e mais um CD com remixes, covers e faixas não lançadas, junto com o DVD Rádio Pirata – O Show, contendo registros de um show realizado em São Paulo em 1986. Atualmente,os integrantes têm projetos solos, e as vezes se apresentam juntos. Eu particularmente adoro, e indico. Aumente o volume e coloque para rodar “Olhar 43” e “Rádio Pirata”.
obs.: A Rede Globo exibe amanhã o especial “Por toda minha vida” sobre o RPM, assistam.
*-*

Por Di Lua, sobre Uncategorized
Dia 03/10/2010

William Albert Michael Broad nasceu em 30 de novembro de 1955 na Inglaterra. Se auto batizou de Billy Idol depois que uma ex-professora o chamou de idle(vagabundo, preguiçoso) da classe. Não deu outra: ele fez um trocadilho de ” idle ” com ” idol” e se tornou um ídolo do rock.

Iniciou sua carreira musical como integrante do Bromley Contingent, um grupo de seguidores do Sex Pistols, que incluía membros do The Clash e Siouxsie and the Banshees.Billy uniu-se a Tony James, ambos faziam parte da banda punk Chelsea, a qual deixaram para formar a banda Generation X, além do próprio Idol na guitarra e vocal, trazia Tony James no baixo e John Towe na bateria, estourou em Londres em 1979.

Após três discos lançados, o grupo acaba em 1980 e já no ano seguinte, Billy Idol resolve investir em uma carreira solo. Mudou-se em definitivo para os Estados Unidos e ao lado do guitarrista Steve Stevens, lançou grandes hits como “Dancing With Myself”, “Mony Mony”, “White Wedding”, “Rebel Yell”, “Eyes Without a Face”, “Flesh For Fantasy”, “Sweet Sixteen”, “Don’t Need a Gun” e “Cradle Of Love”.

O cantor permaneceu um longo tempo em silêncio na década de 90, onde lançou apenas o álbum “Cyberpunk”. Em 2002, ele gravou o acústico “Storytellers” para o canal de TV norte-americano VH-1 e em 2005 volta as paradas com o álbum Devil’s Playground.
Em 2008 lançou o CD e DVD “The Very Best Of Billy Idol: Idolize Yourself”. Uma coletânia dos principais sucessos e duas faixas novas, John Wayne e New Future Weapon.
Eu particularmente adoro Dancing With Myself, é dançante, tem uma letra legal e me faz viajar.
Como a incorporação foi desativada, confira ela aqui. Além dela ouça também “White Wedding” e “Eyes Without a Face”.


Por Di Lua, sobre Música, Uncategorized
Dia 10/11/2009
No dia 15 de Outubro a banda A-ha anunciou turnê de despedida em 2010, e , os integrantes disseram que agora iam seguir carreira solo.
Quando li essa notícia não sei onde,fiquei em estado de choque. Como assim o A-ha se separar não pode ser.
O grupo formou em 1982 na Noruega, de acordo com a Wikipédia suas música de maiores sucessos são “Take On Me“, “The Sun Always Shines On TV“, “Hunting High And Low“, “Stay On These Roads“, “You Are The One” e “Crying In The Rain. Concordo amo Take on Me, e o clipe então nem se fala, eu queria ser aquela garota que entra no gibi e resgata o mocinho. You Are the One é dançante, me deixa nas nuvens, e eles com aquelas roupas listradas?? Ui. Crying In The Rain é perfeita para pensar, dormir, sonhar, chorar, enfim ela é perfeita.
Sempre gostei deles, lembro de quando era pequena eu pegava uma fita cassete que a minha mãe tem da banda e ia ouvir. Acho que gosto deles desde quando nasci. Em 1991 eles fizeram um show no dia 18 de maio aqui em Goiânia, ou seja, depois de oito dias que eu tinha nascido, talvez a movimentação e a vontade da minha mãe em ir, mexeram comigo psicologicamente.
Outra banda da qual eu nunca irei ver um show, pois dos Beatles só resta o Paul e o Ringo, no entanto ainda tenho a esperança de um dia ir à um show do Sr. McCartney (existe uma conversa de que ele virá em Brasília ano que vem),do Ringo,Morten Harket, do Paul ,Magne e da minha Diva Cindy Lauper entre outros.


Páginas«1 ...1617181920