Por Di Lua, sobre Uncategorized
Dia 12/02/2017

cafecompsique lary di lua

Milhões de pessoas no mundo são afetadas por alguma doença psicológica (transtorno obsessivo-compulsivo, transtorno bipolar, anorexia, depressão, estresse pós-traumático, entre outros), e muitas dessas pessoas são nossos tios, amigos, pais, avós, companheiros, ou seja, pessoas muito próximas de nós. Por motivos emocionais, algumas não conseguem se manter em um emprego, tem dificuldade em conviver com o outro, e na maioria das vezes não são aceitos. Infelizmente, várias pessoas acabam achando que o outro está “inventando” história, que a pessoa é preguiçosa, ou está apenas passando por uma má fase, julgamentos que só acaba piorando o estado psíquico da pessoa que sofre de depressão ou de outra doença psicológica.

@hannes_casparFoto Reprodução: Whattarollmag

Por isso, Mariana, de 24 anos, criou o Café com Psique, blog para falar sobre depressão, psicanálise, superação e empoderamento. Mariana passou por diversas dificuldades por causa da depressão, inclusive foi internada, e começou a escrever sobre como uma forma de se tratar. Ela conta que o feminismo e as questões sobre empoderamento também a ajudaram bastante, e continuam ajudando, e por este motivo também são temas abordados no blog.

Formada em Letras, Mariana escreve muito desde criança e por isso escolheu falar sobre a doença no blog. “ Trabalho como redatoras em agências de publicidades, escrevo para viver, e por isso criei o blog, para usar meus talentos e falar das coisas que estavam me afligindo”, afirma.

“Reflita e me diga: depressão é loucura?

Você alguma fez já se fez aquela pergunta: Se eu ficar louco, vou ao menos saber que estou ficando louco?

Você alguma vez já se sentiu cansado, muito cansado, às 8 horas da manhã, depois de ter dormido 10 horas de sono? …” – Do olhar cheio de névoa e de uma luz possível (continue lendo aqui).

Assim, convido todos vocês a conhecerem o Café com Psique e dar aquela força para a Mariana.

Blog: Café com Psique

Página no Facebook: Café com Psique

Gratidão!

8159668469_f01a4d1e8a_bImagem Reprodução: Kyle Thompson 


Por Di Lua, sobre Uncategorized
Dia 29/11/2016


Durante todo esse tempo eu me senti segura, forte e amada. Tivemos momentos incríveis, felizes, mas também alguns ruins. A vida é assim, não somos felizes o tempo todo, e os momentos ruins nos faz refletir o que precisamos melhorar ou até mesmo mudar. Somos humanos, temos medos, desejos, erramos e acertamos, não na quantidade que gostaríamos, mas tudo é isso é aprendizado, não é mesmo?

A vida é feito de escolhas, e começar um relacionamento é uma delas. Eu faria tudo de novo, se fosse preciso, te esperaria no mesmo banco, te abraçaria, te ligaria, e escolheria ficar com você pelo tempo que fosse possível, assim como escolhi. A rotina as vezes é chata, mas sempre tentamos contorná-la, fazemos algo novo, batemos perna por aí, ficamos atoa, e a companhia um do outro é a única coisa necessária.

Com a rotina, vem a intimidade, a convivência, e, infelizmente,com ela vêm as brigas por coisas bobas, que depois se tornam grandes brigas por coisas bobas. E se os dois forem orgulhosos, a coisa toda fica ainda mais difícil. É preciso que um lado dê o primeiro passo e veja que errou, que deveria ter escutado o outro, pois é ele que está sempre ali ao seu lado, pronto para te ouvir e te amparar. É assim até com os nosso pais e amigos, porque em um relacionamento isso seria diferente?

Somos diferentes, temos pensamentos, ideais e personalidades diferentes, as vezes discutimos por coisas bobas, às vezes concordamos com as mesmas coisas. E é isso que constrói um relacionamento forte, já pensou se concordássemos com tudo? iria ser bem chato e monótono.  

Eu errei, deixei forças externas abalar nossa relação. Eu errei, quando não demonstrei tudo aquilo que sentia. Eu errei, quando eu não disse que te amava, quando isso estava bem claro para todo mundo. Eu errei, quando deixei o orgulho falar mais alto e não pedi desculpas.

Mas percebi que é com você que quero estar, sem indagações, sem contestações, sem medo.

Me desculpa?

 

*Texto “Me Desculpa?” foi escrito por mim, quem visita o blog a mais tempo lembra que eu postava muitos textos pessoais, mais literários, e estou pensando a voltar a postar novamente, o que acham ?

Por Di Lua, sobre Uncategorized
Dia 04/04/2013

Ah no início eu achava que era você que jogava comigo, sim. Cheio de artimanhas, cartas nas mangas. Acho que você também achou que eu que jogava com você, mas não. E ai depois de todo esse tempo, de toda essa reviravolta eu vi, a culpada de tudo isso era ela.
 Ela que prega peças, que engana e que ri da nossa cara. Ela que nos colocou no mesmo caminho, ela que dá voltas e nos faz encontrar.

Ela que esteve brincando conosco esse tempo todo é a Vida.


Páginas12345678