Por Di Lua, sobre Uncategorized
Dia 07/09/2012
Tenho que confessar que tenho medo. Não porque seja desconhecido, é conhecido até demais. Sempre acho que estou preparada para a sua volta, mas não estou. Tenho receio de que as coisas continuem como antes, e isso não é bom. É uma situação complicada, é ser quente e frio ao mesmo tempo, ser tudo ou nada, ser verão ou inverno, é sempre uma contradição.

Dizem que o complicado vale a pena, mas eu não sei. E essa é uma das poucas vezes que não sei sobre alguma coisa. É arriscar demais, e o que está em jogo é meu coração. Sim, o sempre bobo da história.

Por Di Lua, sobre Uncategorized
Dia 01/03/2012

Eu prometi para mim mesma que iria esquecer, como se eu nunca tivesse vivido aquilo. Mas as lembranças começaram a voltar, Não que eu quisesse, é claro. Na verdade elas começaram a me pertubar, e isso estava me fazendo mal, muito mal.

É nessas horas que começo a me encher de dúvidas, e o pior, a me culpar. É um sentimento de nó na garganta, uma vontade de gritar tão alto, que seja capaz de te pertubar. Não acredito que seja possível você ter mentido o tempo todo. Eu sei, palavras são fáceis de dizer, tem coisas que saem da boca para fora, o difícil é demonstrar,e você demonstrava.

Não sei onde errei, e se errei. Mas não entendo. Sinto falta das mensagens trocadas durante todo o dia, e do seu sorriso bobo. Sinto falta do seus abraços, dos seus beijos, sinto falta de você.


Por Di Lua, sobre Uncategorized
Dia 11/01/2012

Estávamos lá, apenas nos dois e as estrelas. Sempre tive uma imensa fascinação por elas, seres luminosos que me intrigam, mas que iluminam meus caminhos. E agora , ele também me fascinava. Talvez pelo jeito que agiu, pelo jeito que me olhava, e pelo jeito que me tratava.

Tudo parecia tão simples e tão bom quando estávamos juntos. Eu poderia passar horas só curtindo a companhia dele, que isso me faria bem.

E agora, as estrelas testemunhavam o nascimento de um grande sentimento, o qual  eu esperava que fosse infinito, assim como o universo. E quando uma estrela cadente cruzou o céu, foi o que pedi. Mas isso, só o tempo iria dizer.
obs.: Texto para o projeto Bloínquês .

Páginas12345678