Por Di Lua, sobre Cinema
Dia 31/03/2016

Últimos filmes assistidos no Cinema

filmes-que-assisti-deuses-do-egito-lary-di-lua

Deuses do Egito (2016)

Sinopse: Bek (Brenton Thwaites) é um mortal pacato que se considera apenas mais um soldado, e que vive em um Egito ancestral dominado por deuses e forças ocultas. Quando o impiedoso Set (Gerard Butler), deus da escuridão, toma o trono da nação e mergulha a sociedade no caos, o jovem se unirá a outros cidadãos e com o poderoso deus Horus (Nikolaj Coster-Waldau), para formar uma expressiva resistência.

O que achei: Filme muito bom e que vale a pena assistir: principalmente pela atuação, riqueza dos detalhes e efeitos visuais. O filme apresenta o Egito sobre um novo olhar: a convivência dos deuses com os mortais. Além disso, é possível entender a relação dos egípcios com o pós-morte.

Últimos filmes assistidos no Netflix

AgeD1-178.dng

A Incrível História de Adaline (2015)

Sinopse: Adaline Bowman (Blake Lively) nasceu na virada do século XX. Ela tinha uma vida normal até sofrer um grave acidente de carro. Desde então, ela, milagrosamente, não consegue mais envelhecer, se tornando um ser imortal com a aparência de 29 anos. Ela vive uma existência solitária, nunca se permitindo criar laços com ninguém, para não ter seu segredo revelado. Mas ela conhece o jovem filantropo, Ellis Jones (Michiel Huisman), um homem por quem pode valer a pena arriscar sua imortalidade.

O que achei: Por que eu demorei tanto para assistir esse filme?

“A Incrível História de Adaline” é o típico filme romântico em que uma pessoa está presa ao tempo e por causa disso se priva do verdadeiro amor. Contudo, diferente de filmes em que a pessoa é um viajante do tempo (como em “Te Amarei para Sempre”) e não consegue se desfazer desse “poder”, Adaline, depois de viver por mais de xx anos, consegue. É lindo, é emocionante e me fez chorar, rsrs.
*Ponto bônus do filme: a protagonista é a Blake Lively :).

filmes que assisti vivendo na eternidade lary di lua

Vivendo na Eternidade (2012)

Sinopse: Na 2ª década do século XX vive Winnie Foster (Alexis Bledel), uma “ave em uma gaiola de ouro”, pois seus pais são muito ricos, mas não a deixam aproveitar a vida. Isto é tudo que uma jovem de 15 anos deseja, mas ela está proibida de se “misturar” com outras pessoas. Esta situação muda bruscamente quando vê Jesse Tuck (Jonathan Jackson) bebendo em uma fonte, que fica no pé de uma árvore num bosque próximo da sua casa. Inicialmente ele tentou intimidá-la, mandando-a ir embora, mas ela se negou, pois o pai dela era o dono do bosque. Surge então Miles (Scott Bairstow), o irmão de Jesse, que queria dar um jeito nela pois Angus Tuck (William Hurt), o pai de Jesse e Miles, tinha dito que não poderiam haver exceções. Entretanto Jesse intervém e Winnie acaba conhecendo a família Tuck, que a recebe gentilmente. Seu medo inicial é substituído por uma sensação de liberdade, que nunca experimentou na vida, e ela e Jesse se sentem cada vez mais atraídos. Quando Winnie pergunta a Jesse sua idade, ele responde que tem 104 anos. Obviamente ela não crê, pois ele aparenta ter 17 anos, mas gradativamente ela fica sabendo que todos os Tuck são incapazes de morrem e o segredo está na água da fonte do bosque. Paralelamente os pais de Winnie acham que foi sequestrada e organizam uma busca

O que achei: Encontrei esse filme por acaso no NetFlix e resolvi assistir. Coincidentemente ele é um pouco parecido com “A Incrível História de Adaline”, pois o roteiro gira em torno de uma família que ficou imortal após tomar água de uma fonte mágica. A personagem de Alexis Bledel enfim encontra a liberdade que tanta sonhará ao conhecer a família Tuck, e vive momentos incríveis, drama e no fim se apaixona por Jesse. Contudo, a paixão não foi capaz de fazê-la tomar da água. Assim, o final não é do tipo “viveram felizes para sempre”, mas não deixou de ser um final feliz.