Por Di Lua, sobre Entretenimento
Dia 29/05/2019

Nesta última terça-feira, 28 de maio, conferi a Exposição “A beleza sombria dos monstros: 10 anos de A Arte de Tim Burton”, que será realizada até o dia 11 de agosto no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB) de Brasília, e a entrada é gratuita. Eu amei a mostra e só digo uma coisa: vão.

Estava ouvindo falar desta exposição desde o início do ano, e como estou de férias do trabalho, aproveitei para ir à Brasília conferi-la em sua estreia. Posso dizer que fui a primeira (do grande público) a entrar na exposição, pois cheguei no CCBB às 8h30 achando que teria uma fila grande, mas estava bem tranquilo. O Centro Cultural abre às 09h, mas como era o primeiro dia da exposição, houve um atraso e eu e os demais só podemos entrar na mostra por volta das 09h40.

Apesar de não ter encontrado o Tim Burton (ele esteve em Brasília no domingo e na segunda para ver a “A beleza sombria dos monstros: 10 anos de A Arte de Tim Burton” de perto), eu amei a exposição, que é, além de sombria, bem interativa.

A beleza sombria dos monstros: 10 anos de A Arte de Tim Burton

A exposição comemora dez anos da publicação de “A Arte de Tim Burton”, livro que reúne referências e matérias de pesquisa de 40 anos da carreira do cineasta californiano, responsável pela direção de Edward Mãos de Tesoura (um dos meus preferidos), “A Fantástica Fábrica de Chocolate” (2005), Beetlejuice – Os Fantasmas se Divertem, A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça, A Noiva Cadáver, Alice no País das Maravilhas, entre outros.

Assim como o livro, a mostra é dividida em 13 capítulos que abordam os temas comuns do trabalho de Tim Burton, como animais, pessoas, monstros, coisas, palhaços, amor, entre outros.

A maioria dos ambientes são interativos, onde o visitante pode entrar no universo criativo de Burton, além disso, vários conceitos visuais e ilustrações do arquivo pessoal do cineasta fazem parte dos ambientes da mostra.

A exposição não pode ser fotografada, mas há alguns painéis e espaços próprios para tirar foto. Assista ao vlog dessa viagem aqui.

E você, gosta do trabalho do cineasta? Ficou com vontade de ver a exposição? Comente aqui:


Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 12/05/2019

A chave do sucesso de uma viagem é o planejamento. Nem sempre temos dinheiro suficiente para fazer várias viagens no ano ou fazer aquela viagem dos sonhos, mas com um bom planejamento tudo é possível. A primeira coisa que faço ao pensar em uma viagem é colocar a estimativa de gastos no papel.

Eu sempre divido a lista em dois gastos principais: os fixos, que engloba passagem, locomoção e alimentação; e o gastos extras, que envolve passeios e compras.

Planejamento de Viagem

Gastos fixos:

Passagem: Como irei chegar no meu destino? É para o exterior e vou de avião? É para uma cidade no meu próprio estado e vou de ônibus? Após definido isso começo a pesquisar os valores dessas passagens e anoto os valores que encontro na minha planilha. Por exemplo, vou para Vitória/ES e minha passagem custou R$350.

Carro: Vou com amigos e vamos dividir o combustível? Quantos km da minha cidade até o local para onde vamos? Qual a expectativa de gasto com combustível? Vamos de avião, mas chegando lá alugaremos um carro? Anoto todos estes valores em minha planilha

Hospedagem: Defini o hostel ou o hotel que irei me hospedar? Anoto o valor total das diárias mais as taxas na minha planilha. Por exemplo: Vou me hospedar três dias no Hotel B, onde a diária custa R$100, desse modo gastarei R$300 com hospedagem.

Alimentação: Este é o ponto mais difícil na hora de planejar uma viagem, pois raramente sabemos o valor da comida em determinado lugar. Mesmo vendo em grupos de viagens o relato de pessoas sobre quanto gastaram com alimentação em uma viagem para a Disney, por exemplo, isso é bem relativo de pessoa para pessoa.

Mel’s Drive In – Los Angeles

Eu sempre tento fazer uma média de quanto irei gastar com alimentação. Sempre que viajo prefiro hotéis e hotéis com o café da manhã incluso, pois é minha refeição preferida e acho que dá para economizar um pouco com isso. Como eu sei que como pouco, levo em consideração o preço do prato executivo no local que eu vou. Para isso faço uma pesquisa em sites de dicas e ou compras coletivas da cidade para qual eu vou. Se a média da refeição no local é R$25, estimo que gastarei R$25 no almoço mais R$25 na janta, e acrescento R$10 de extra para lanches da tarde ou bobeiras na rua. Desse modo, planejo R$60 por dia para alimentação, totalizando R$180 para alimentação em uma viagem de três dias.

Pode ser que eu gaste mais ou menos dependendo do dia e do passeio, pois nem sempre quando eu viajo eu faço as refeições certinho. Às vezes estou batendo perna e prefiro fazer só um lanche, no outro dia resolvo jantar em um lugar mais caro. Mas ainda sim prefiro fazer uma provisão de quanto gastarei com alimentação durante a viagem.

Ahh, se você tem uma conexão longa e precisará comer no aeroporto ou se vai viajar de carro e fará paradas, anote esse valor também.

Cachoeira da Fumaça – Nova Ponte/MG

Locomoção: Não vou locar carro e vou me locomover apenas de Uber durante minha viagem? Faço uma pesquisa no próprio Uber colocando o endereço do meu hotel até o Museu X que quero visitar, o valor que dê eu anoto e assim faço com os outros pontos do meu roteiro. O valor total eu jogo na minha planilha.

O mesmo vale para transporte público, pesquiso o valor do transporte público e multiplico pela quantidade de vezes que vou utilizar. Na maioria das minhas viagens eu faço meu roteiro pensando nos lugares que são próximos um do outro e que possam ser feitos a pé. Assim, uso no máximo três bilhetes de transporte público por dia. Assim, se o bilhete do ônibus custa R$4 e vou utilizar três por dia, gastarei R$12 todos os dias e um total de R$36 (três dias de viagem) com transporte público.

Gastos extras

Santa Mônica Píer

Passeios: Pretendo visitar o Museu X e ele cobra R$5 a entrada? Quero fazer o Passeio da Maria Fumaça, que custa R$50? Anoto o total de gastos com passeios, entradas em museus, visitas e tours na minha planilha.

Compras: Para não extrapolar e nem ficar sem comprar nada eu estipulo um valor que eu posso gastar com compras de lembrancinha, artigos de decoração, entre outros.

Desenvolvi um freebis para ajudar vocês à planejarem suas viagens. Baixe aqui e imprima <3

Este post faz parte de uma série de planejamento de viagens e você pode conferir o primeiro post aqui.

Confira este post em formato de vídeo aqui.