Por Di Lua, sobre Entretenimento
Dia 23/10/2019

A Garota da Capa Vermelha é uma história que criei para compartilhar juntamente com as fotos que fiz no final de semana para o Halloween. A comemoração da data tem se tornado popular no Brasil e cada vez mais queremos nos produzir para participar das festas. Este ano combinei com meus amigos de ir em uma festa aqui em Goiânia e acabamos fazendo umas fotos durante o dia no Parque Areião. Vejam:

A Garota da Capa Vermelha

Era uma vez uma linda garotinha conhecida como Chapeuzinho Vermelho. Ela tinha aquele apelido por usar sempre uma capa vermelha que havia ganhado de sua avó. Ela gostava muito de se aventurar pela floresta, fazendo trilhas e colhendo frutas. 

Um certo dia, sua mãe pediu para que ela levasse uma cesta com pães e maçãs para sua avó, que estava adoentada. A avó de Chapeuzinho morava em uma casa no meio da floresta, a uma hora da aldeia. Apesar de sempre ir lá, a garota tinha receio de demorar pelo caminho e chegar lá ao anoitecer, pois, segundo uma lenda local, havia um lobisomem naquelas redondezas. 

Encantada com a floresta, chapeuzinho se perde

Chapeuzinho saiu de casa após o almoço. No meio do caminho se encantou com uns pássaros que havia na floresta e acabou se perdendo na trilha. Ela não se importou muito, pois era uma oportunidade de conhecer novos lugares. Com tudo, o sol estava se pondo e já era possível ouvir o piu da coruja ao longe. Aos poucos a lua cheia ia surgindo.

De uma hora para a outra, a atmosfera da floresta mudou e Chapeuzinho sentiu calafrios. Embora não tivesse vendo nada, começou a ter a sensação de que estava sendo observada. Ela então apressou os passos e tentou encontrar o caminho para a casa de sua avó. De repente, Chapeuzinho começou a ouvir passos em cima das folhagens e ao virar para trás se deparou com uma grande figura cinzenta, com o corpo coberto de pelos. Brilhando sob a luz do luar, dentes pontiagudos e unhas afiadas crescendo de grandes garras.  Ofegando de medo, Chapeuzinho Vermelho começou a correr por entre as árvores, e logo sua cesta e sua capa ficaram para trás.

A lenda era real

A garota corria com toda a velocidade que conseguia. Apesar da lua cheia brilhando no céu, a mata era densa e fechada, e Chapeuzinho acabou tropeçando na raiz de um grande sabugueiro e caiu. Ela tentou se levantar, mas o lobisomem foi mais rápido que sua vontade e a atacou. No mesmo instante ela sentiu o sangue frio descendo por sua testa. Ela se contorcia e tentava se desvencilhar dos golpes, mas o lobisomem não ia desistir de seu objetivo: morder o pescoço onde veias arroxeadas saltavam. Contudo, ele acabou encostando no medalhão de prata que Chapeuzinho usava e urrou de dor. A jóia, um presente da avó, era de prata. A fera precisava encontrar água antes que a ferida se abrisse mais e largou a garota só.

Chapeuzinho, vendo que o lobo fugia, se levantou. Ela se sentiu zonza, mas se pôs a caminhar com dificuldade tentando encontrar o caminho para a casa de sua avó. A garota não sabia mais nem onde estava, mas uma coisa era certa: não conseguiria voltar para sua casa antes que o dia amanhecesse. Após um dez minutos andando, Chapeuzinho acabou encontrando sua capa e a cesta jogada na trilha. Ela pegou suas coisas e apressou o passo.

Alivio e medo

Durante a caminhada parou diversas vezes para pegar um pouco de ar, ela sentia náuseas e seu estômago estava embrulhado.  Ela começou a avistar uma fumacinha saindo de uma chaminé após uma clareira e se animou por ver que a casa da avó já não estava tão longe.

Em poucos minutos, ela chegou na casa de madeira e começou a bater desesperadamente na porta e chamar por sua avó. De dentro uma vozinha fraca perguntou quem era e Chapeuzinho falou seu nome. A porta abriu devagar e a garota entrou. Ela ficou aliviada por estar na casa da avó, que ficou assustada ao ver os cortes no lindo e delicado rosto da neta. A garota contou tudo que havia ocorrido à avó, que preparava um chá de beladona.

A avó ouvia tudo com uma expressão serena, mas por dentro sua cabeça parecia que iria explodir. Ela já havia vivido tempo suficiente para saber quem ninguém sai ileso de um ataque de lobisomem. Chapeuzinho Vermelho já estava calma e agora até orgulhava de sua astúcia, mal sabia ela que a maldição do lobisomem não era exatamente do jeito que os aldeões contavam.

Você pode assistir trechos dessa história em vídeo, no tutorial de Chapeuzinho Vermelho que fiz para o Youtube aqui.

E aí, o que vocês acham que acontecerá com Chapeuzinho Vermelho? Gostaram da história? Comente aqui:



Avatar
Carol Sweet disse:
Dia 24/10/2019 às 03:48

Adorei a narrativa e principalmente, adooorei demais as fotos. Fiquei muito encantada com tudo! Arrasou demais ♥
Beijos,
Mundo Perdido da Carol
Instagram: @carolinsweet
Fan Page

Avatar
Di Lua disse:
Dia 25/10/2019 às 23:57

Oii, Carol
fico muito feliz em saber que gostou. As fotos são da Kanie, que arrasa 🙂