Por Di Lua, sobre Moda/Beleza
Dia 30/07/2019
Reprodução: Pinterest

O jeans é aquele material que pode mudar as estações, entrar e sair moda, que todo mundo continua usando. A velha e boa calça jeans eternizou o material, que hoje em dia é usado para a fabricação de todas as peças do nosso vestuário, e compõe uma das tendências que mais amo, o all jeans (ou todo jeans em português).

Por compor looks despojados, fashion e até os mais arrumadinhos para o trabalho, o Jeans caiu na graça da sociedade e é o material mais consumido no mundo todo quando se fala em roupa. É impossível conhecer alguém que não tenha uma peça sequer em casa. Eu mesma tenho umas quatro calças jeans, shorts, saias, vestidos, camisas e macacões (sim, percebi que ando exagerando). Teve um período que cheguei a ter quatro vestidos jeans!

Reprodução: Pinterest

No mercado há diversas lavagens de jeans, contribuindo assim para uma infinidade de modelos e estampas não só de calças, mas de saias, camisas, vestidos e macacões. Nos acessórios, vez ou outra uma marca aposta em bolsas, mochilas e sapatos com o tecido, facilitando ainda mais a composição de looks todo no tecido.

All Jeans é quando o look é todo por jeans, seja um vestido jeans ou o combo calça e camisa, ou saia e cropped jeans. Eu amo a tendência porque acho prático e elegante ao mesmo tempo, principalmente looks compostos por camisas e calças jeans. Para deixar o look mais fashion sem ter aquela cara de conjuntinho dos anos 80/90 é legal seguir algumas dicas.

Veja como arrasar com looks all jeans

Reprodução: Pinterest

Use diferentes tonalidades de jeans no mesmo look –  Para fugir da mesmice e até distanciar da pegada conjuntinho é leal apostar em peças com tonalidade diferentes. Se você está com uma calça jeans escuro, aposte em uma camisa jeans mais clara. Com a infinidade de lavagens que há no mercado, é quase impossível encontrar peças jeans que tenham o mesmo tom, o que é ótimo na hora de pensar em um look total com o tecido.

Para onde você está indo? É bom pensar nisso quando for montar um look todo dia. Ambientes corporativos exigem jeans com tonalidades mais escuras, com pouca ou quase nenhuma lavagem e nada de detalhes, como pedraria ou rasgos. Já em ambientes informais você pode abusar de tonalidades mais claras, lavagens manchadas e nas peças com detalhes. Hoje em dia há jeans com uma infinidade de detalhes, perolas, spikes, pedrarias, bordados e rasgos.

Abuse dos acessórios – Como o look será todo de um tecido só, é legal usar acessórios coloridos, que chamem atenção, claro, observando o ambiente para onde você está indo. Eu amo usar sapatos/sandálias na cor vermelha quando uso all jeans ou com uma bota cano curto estampa animal print. Não tem erro.

História do Jeans

A primeira peça com jeans foi construída em Nimes, na França, mas ela só ganhou graça em Maryland, nos EUA, por um comerciante que tentou utilizar o tecido para produzir lonas. Em 1850, com a corrida do ouro na Califórnia, Oscar Levi-Strauss decidiu transformar o material em uniformes para os homens que trabalhavam nas minas.

Inicialmente, as calças produzidas com jeans tinham uma coloração marrom e três bolsos fixados com tiras. Por ser uma roupa muito resistente e adequada para o trabalho pesado, a peça logo fez sucesso e foi adotada por ferroviários e trabalhadores rurais de todo o Estados Unidos. A patente à Levi-Strauss foi concedida em 1873.

Com o passar dos anos o jeans foi adaptado para outros usos, ficando mais macio com a lavagem de pedras. No século XX, a calça jeans chega no mercado para o público geral e logo ganha o movimento hippie, que utiliza da peça como forma de protestar contra o estilo de vida tradicional e conservador. Nas décadas de 70 a 80, a calça jeans assume um caráter rebelde, mas ao longo dos anos passa a ser adotado inclusive por estilistas famosos, além de compor peças de marcas de luxo.

E você, gosta de um look all jeans? Me conta aqui:


Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 24/07/2019

Vai viajar? confira neste post os aplicativos de viagem essenciais para se ter no celular durante uma viagem.

Os celulares smartphones e os aplicativos facilitaram muito a nossa vida, inclusive nossas viagens. Hoje tudo está na palma da nossa mão, literalmente, e é essencial que saibamos tirar o melhor proveito disso. Neste post mostro os três aplicativos que tem sido essencial durante minhas viagens.

Três aplicativos de viagem essenciais

Moovit

O Moovit é o melhor aplicativo que já baixei relacionado à transportes públicos, pois além de funcionar na minha cidade, ainda funciona em mais de 2700 cidade pelo mundo todo, ou seja, não precisa baixar o aplicativo de cada viagem. Além do alcance, o aplicativo mostra todas as opções de transporte público do lugar, como ônibus, metrô, bicicleta, teleférico, barca ou carona (como Uber ou Lift). Ele mostra o horário em tempo real do transporte público, dá várias opções de rotas e horários, e ainda é possível ir acompanhando seu deslocamento através do mapa.

Aplicativo da companhia aérea por qual comprei minha passagem

Eu achava desnecessário ter aplicativos das companhias aéreas em meu celular, pois eu sempre fazia Check in com antecedência. Quando fui para os EUA resolvi baixar o app da Delta, pois não sabia como seria o acesso à internet nos lugares que que eu iria passar e nem se teria como eu imprimir minha confirmação de Check in antes, como eu sempre fazia em minhas viagens, e ter o aplicativo no celular facilitaria muito isso.  

Na última viagem de avião, baixei o da AZUL e foi essencial, pois tive que despachar bagagem e pelo aplicativo era a metade do valor cobrado no guiché (R$120). Então minha dica é sempre baixar o aplicativo da companhia aérea que você está utilizando na sua viagem.

Google Translate

Esse é um aplicativo que todo mundo tem que ter quando viaja para o exterior, principalmente se você não fala uma segunda língua. Além de ser super simples, ao baixa-lo, você não precisa de internet para utilizá-lo. Além disso, ele tem a opção de áudio, assim você pode jogar uma frase lá e clicar na parte do áudio para a outra pessoa ouvir e conseguir entender, caso você não consiga pronunciar. Ele me salvou na minha primeira viagem para os Estados Unidos.

E vocês, tem um aplicativo que não abre mão na hora de viajar?


Por Di Lua, sobre Diário de Viagem, Moda/Beleza
Dia 19/07/2019
Designed by rawpixel.com / Freepik

Como fazer as malas para o frio é o tipo de dúvida que mais vejo na internet quando o assunto é viagem, principalmente nos últimos meses por conta das limitações do despacho de bagagem pelas companhias aéreas. Como as roupas de inverno são mais pesadas e maiores que as roupas de verão, por exemplo, todo mundo fica com receio de viajar apenas com bagagem de mão e passar muito frio durante a viagem.

Em viagens nacionais o despacho de mala é pago, mas o passageiro pode viajar com uma mala pequena de até 10 kg (bagagem de mão) no bagageiro superior do avião, além de uma bolsa classificada como item pessoal. Nos voos internacionais é possível despachar malas de até 23 kg, além da bagagem de mão e o item pessoal. Ou seja, dá para fazer uma mala com tudo o que a gente precisa para aproveitar a neve no Chile, mas as coisas complicam ao tentar fazer uma mala para aproveitar Gramado, por exemplo.

Como fazer as malas para o frio?

Na hora de fazer as malas para o frio, é essencial levar peças que combinem entre si e que de fato irão te esquentar. Não adianta levar uma blusa diferentona que combina apenas com a calça jeans, pois você conseguirá montar apenas um look. Sua mala precisa ser eficiente e econômica.

O segredo na hora de se vestir no frio é criar camadas. Então leve terceiras peças com você e multiplique ainda mais a sua mala. Ah, não se esqueça de comprar um conjunto de segunda pele, blusa e calça de um tecido peludinho que você encontra em lojas de artigos esportivos. Em temperaturas abaixo de 12ºC faz muita diferença vestir uma segunda pele por baixo da calça jeans, da blusa e do casaco.

Separe as peças com antecedência, veja se as cores e as peças combinam entre si. Observe também quantos looks você consegue montar com as peças que serão levadas. Quanto maior o número de looks melhor. Leve calçados e bolsas de cores neutras, leve acessórios coloridos para dar um up no look e diversificar suas produções. Ahhhh, não se esqueça de meias, luvas, gorros e cachecóis.

Esse casaco ocuparia muito espaço na mala

A outra dica e a que considero mais importante é: leve o casaco mais grosso ou o trench coat com você, fazendo parte do seu aerolook rs. Primeiro porque você terá muito mais espaço em sua mala, segundo porque pode fazer muito frio dentro do avião por conta do ar condicionado. Esta dica também vale para a bota, principalmente se ela for tipo coturno ou de salto grosso.

Exemplo de mala para o frio de cinco dias

Eu sempre faço minhas malas levando em consideração a quantidade de dias que irei ficar no local. Assim, se eu fosse fazer uma viagem de cinco dias para Gramado durante o inverno eu levaria as seguintes peças:

  • Duas blusas ou camisetas de cores neutras (preto ou branco) e um blusa estampada;
  • Três calças, sendo uma jeans e as outras duas de um tecido que esquente bastante, tipo moletom. Vale lembrar que irei vestida já com a calça jeans;
  • Um vestido longo de um tecido mais quentinho tipo veludo ou tricô, tipo esse da Amaro abaixo;
  • Dois casacos grossos e que me esquentem bastante, sendo que um deles irá comigo no avião para não ocupar tanto espaço na mala;
  • Quatro pares de meia, fora as que irei utilizando;
  • Dois cachecóis de cores vibrantes ou estampado para diversificar ainda mais seus looks;
  • Dois pares de luvas. Eu prefiro cores mais neutras, pois combinam com todos os looks;
  • Um tênis confortável para as caminhadas;
  • Uma bota, que será a que utilizarei tanto na ida como na volta a viagem para também economizar espaço na mala;
  • Seis calcinhas e sutiãs;
  • Acessórios como brincos, colares e anéis;
  • Conjunto de segunda pele;
  • Nécessaire com itens de higiene pessoal: escova de dente, pasta, sabonete, hidratante, protetor solar (essencial também no frio), e demaquilante;
  • Bolsinha com remédios; e
  • Nécessaire com o básico de maquiagem: base, batom, delineador, paleta de sombras, iluminador e pó.

Parece muita coisa para uma bagagem de mão, mas garanto que irá caber tudo dentro da sua mala pequena. O segredo é organizar sua mala com cuidado. Eu gosto de dobrar as roupas fazendo pequenos rolos, pois os rolinhos ocupam menos espaço e evitam que as peças amassem muito.

Além disso, eu sempre levo uma mochila como item pessoal e é nela que guardo minha carteira, máquina fotográfica, carregadores e minhas nécessaires de remédio e maquiagem.

Vai viajar para o frio e já estava com receio de ter que despachar bagagem, mas este post te ajudou? Comente aqui.


Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 16/07/2019

Pensar no roteiro da viagem para muitas pessoas é algo dificílimo, e, por isso, muitas acabam preferindo pagar uma agência de viagem ou pesquisar por roteiros na internet. Eu, no entanto, prefiro fazer meu roteiro, visitar o que sempre quis conhecer e fazer as coisas no meu tempo.

Quando eu comecei a viajar com minhas amigas, eu era a responsável por pensar no roteiro, colocar no papel o que iríamos fazer e em quais dias. Eu amava poder fazer isso, pois assim eu tinha certeza que iria nos lugares que sempre quis conhecer. Com o tempo fazer roteiros foi se tornando algo natural e que eu tenho muita facilidade para fazer. Para ajudar vocês a fazer o roteiro de sua viagem elaborei o seguinte passo a passo:

Sobrevoando alguma cadeia de montanhas dos EUA

Fazendo o Roteiro da sua viagem:

Primeiro eu anoto todos os lugares que eu gostaria de conhecer naquela viagem.

Depois eu agrupo tudo por localização. Com o Google Maps aberto vou pesquisando onde é cada coisa e assim agrupando os que ficam no mesmo bairro ou na mesma região. Isso facilita muito, pois economiza tempo e dinheiro no deslocamento.

Roteiro: distribua os lugares que você quer ir

Depois de agrupar os lugares que quero conhecer, começo a jogar isso em uma planilha do excel para assim ir definindo os dias em que vou em cada lugar. Isso é muito importante, principalmente se você pretende ir em algum museu que precisa agendar ou comprar ingresso ou em alguma atração. Por exemplo, quando fui para Los Angeles, eu havia comprado ingresso para a Disney no dia 09/05 e para a Universal no dia 10/05, dia do meu aniversário. Logo, eu teria do dia 11 – 14 para conhecer a cidade. Assim, acabei agendando o museu The Broad no dia 11/05, pois era a única data disponível (é preciso agendar com quase um mês de antecedência), assim, acabei visitando o Centro da cidade nesse dia.

Cachoeira da Fumaça – Nova Ponte/MG

Roteiro: pense no tempo de deslocamento

É importante pensar no tempo que gastarei em determinado passeio e no tempo de locomoção do meu hotel até o lugar, para assim definir quantos lugares serão visitados naquele dia. De toda forma, não gosto de colocar mais de quatro coisas para fazer em um dia, sendo duas pela manhã e duas após o almoço, pois gosto de fazer as coisas com calma, aproveitando o momento. Durante a noite, se eu não tiver programado nada, gosto de bater perna na região de onde estou hospedada.

Roteiro: não se prenda tanto

E por último, o ponto mais importante: não se prenda tanto ao seu roteiro, pois provavelmente acontecerá algo e você não conseguirá segui-lo totalmente. Nos últimos dias em Los Angeles eu estava muito cansada, fora que no dia 11/05 amanheceu chovendo, assim eu preferi andar pela Calçada da Fama e ir para Downton (região central) após o almoço. No outro dia, eu iria só para Bervelli Hills, mas acabei conhecendo duas brasileiras e segui com elas para Santa Monica e Venice Beach, lugares onde eu iria só no domingo, dia 13/05.

Convento da Penha

Na minha última viagem (aqui), choveu muito na região metropolitana de Vitória e eu tive que passar mais uma noite em Guarapari, apertando ainda mais meu roteiro.

Baixe aqui o roteiro da minha última viagem que eu fiz para você ter uma ideia. Sempre faço o meu roteiro no Excel.


Páginas123456... 237»