Por Di Lua, sobre Entretenimento
Dia 06/03/2019

Vocês que me acompanham a mais tempo aqui sabe que sou apaixonada pelo Pinterest e passo horas me inspirando e salvando fotos que gosto ou que eu possa me inspirar na hora de vestir, decorar um ambiente ou fazer uma coisa nova. E foi em um desses passeios que me deparei com fotos no estilo Flat Lay.

Flat lay: Pinterest

O flat lay é uma técnica fotográfica que consiste em fotografar objetos, comidas e até pessoas de cima. Ele surgiu como uma tendência de design em 1987, através do método de organização criado por Andrew Kromelow, o “knolling”. Andrew pegou objetos aleatórios e os organizou em uma superfície plana. O método de organização foi mais tarde utilizado pelo artista Tom Sachs, que produziu fotografias dessas superfícies.

Este tipo de fotografia tem ganhando muito espaço no Instagram e há diversos perfis focados em Flat Lays na rede. Como amo esse tipo de técnica, vez ou outra acabo produzindo algumas e posto no meu ig, o @larydilua.

Veja:

Gostou e quer produzir flat lays também? minhas dicas são:
Se inspire: passe horas no Pinterest procurando por este tipo de fotografia, pesquise por nicho (moda, viagens, papelaria);

Comece a produzir com coisas que você já tem em casa: posicione maquiagem, objetos decorativos e seus itens de papelaria sobre uma mesa e comece a fotografar;

Teste diferentes enquadramentos: não é necessário que todos os objetos apareçam inteiros na fotografia, por isso veja o que fica melhor enquadrado;

Use diferentes texturas: pode ser um tapete, um jogo americano, cartolina colorida, enfim, use a criatividade.


Por Di Lua, sobre Dicas de Goiânia
Dia 20/02/2019

Após dois anos, Sandy volta a Goiânia nesta sexta-feira, dia 22, com sua turnê “Nós, Voz, Eles”, projeto que, além de envolver vários artistas, também traz canções de outros álbuns e músicas inéditas. O Show acontece no Teatro Rio Vermelho às 21h30.

O projeto “Nós, Voz, Eles”, em que Sandy abriu o estúdio de sua casa para receber alguns artistas, foi lançado em novembro do ano passado pela Universal Music, e produzido por Lucas Lima. Além de ser um álbum colaborativo, foi marcado por interconectividade, isso porque além das canções, o projeto virou turnê e produziu uma websérie homônima par mostrar o processo de criação das músicas do álbum.

As oito canções inéditas foram realizadas em colaboração com Maria Gadú, Thiaguinho, Xororó, Iza, Anavitória, Melim, Lucas Lima e Mateus Asato, que colaboraram com as canções. Elas foram lançadas individualmente e posteriormente seus episódios foram publicados no site oficial do “Nós, Voz, Eles”.

O álbum é influenciado, principalmente, pelo pop e o folk, mas também incorpora elementos do blues, soul e jazz. Além disso, há canções que marcaram à carreira de Sandy, como Quatro Estações.

O Teatro Rio Vermelho, está localizado na Rua 4, Setor Central. Goiânia. A abertura dos portões será às 20h e o início do show às 21h30.

Texto: Laryssa Machado e Colaboração de Nathalia Oliveira, com informações do site Nós, Voz, Eles.
Imagens: Reprodução


Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 08/02/2019

Apesar de não ser tão famoso, o carnaval de Goiás tem opções para todos os gostos, como descanso em hotéis fazendas, aventuras na Chapada dos Veadeiros, marchinhas e desfiles na Cidade de Goiás ou shows e festas automotivas em Aruanã e Uruaçu.

Os bloquinhos de rua não são tão famosos assim em Goiânia, capital do estado, mas existem alguns tradicionais na cidade e que todos os anos atraem mais pessoas, como o Bloco Zé Ferino, Bloco dos Amigos, Bloco da Imprensa, Bloco Café Nice, Bloco Cateretê e outros.

Cidade de Goiás

No ano passado, passei o carnaval na Cidade de Goiás e amei. O Carnaval da cidade, que fica toda decorada e alegre, é o tradicional carnaval de marchinhas e festejos de rua, com programações diárias para todos os públicos. De sexta a terça, as programações realizadas no Coreto, Espaço de Eventos Beira Rio, largo Nossa Senhora do Rosário, entre outros lugares, contava com festas com som automotivo e mecânico, Baile para os Idosos e para as crianças, Campanhas de Saúde, desfile de blocos, marchinhas e shows de samba. Gostei de ver toda a população da cidade desfilando em blocos ao som das marchinhas. Além disso, aproveitei para passear na cidade, visitar museus que eu ainda não conhecia, ir até a Igreja Santa Bárbara apreciar a vista da cidade.

Desfile durante o carnaval na Cidade de Goiás

Nunca passei o carnaval em Pirenópolis, mas acredito que seja parecido com o da Cidade de Goiás, uma vez que as marchinhas e os desfiles de blocos também são tradicionais na cidade. Além disso, você pode conhecer uma das diversas cachoeiras espalhadas pela cidade, como a Cachoeira do Coqueiro, que fica na Serra dos Pireneus.

Pirenópolis

Se você prefere agito e shows, os carnavais de Aruanã, Porangatu e Uruaçu são as melhores opções. A programação da folia em todas estas cidades são bem diversificadas, com shows de axé, forro, sertanejo e música eletrônica. Em Aruanã a festa ocorre na Praça Central Couto Magalhães, próximo ao Rio Araguaia. Já em Uruaçu, a folia acontece na Praia Generosa, atração turística da cidade.

Aruanã

E você, pretende passar o carnaval onde? Vai seguir alguma dica deste post?


Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 30/01/2019

Localizada a 120km de Goiânia, Pirenópolis encanta a todos não só com a arquitetura colonial do século XVIII, mas também com a infinidade de cachoeiras. Em dezembro, fui até a cidade conhecer o Parque do Coqueiro, complexo  situado na Serra dos Pireneus com duas cachoeiras, a do Coqueiro e a da Garganta.

Saímos de Goiânia e seguimos para Pirenópolis pela BR153. Chegando na cidade, pegamos a Rodovia dos Pireneus (BR-070, Km 20) sentido Parque dos Pireneus. O inicio da rodovia, ainda no perímetro urbano da cidade, é asfaltada, mas logo começa o pedaço de chão (são 13km de terra batida e com cascalho solto). Levamos cerca de 40 minutos de Pirenópolis até o Parque do Coqueiro.

Cachoeira da Garganta

O Parque do Coqueiro conta com uma ótima estrutura: estacionamento, banheiros, restaurante, trilhas sinalizadas e calçadas até as cachoeiras. Primeiro fomos a Cachoeira da Garganta, que fica do lado esquerdo da bifurcação da trilha. A queda é pequena, mas devido ao poço fundo, é ideal para banho. Além disso, há um espaço aberto com grama próximo a cachoeira, ideal para estender a canga, fazer um piquenique. Já a Cachoeira do Coqueiro, que dá nome ao atrativo,  fica do lado direito da bifurcação. Ao se aproximar da cachoeira você vê um alto buriti na praia formada pela água. A cascata é linda e o poço é raso.

Cachoeira do Coqueiro

O valor da entrada no Parque do Coqueiro é R$25 para adultos; R$12,50 para crianças de 06 a 12 anos; e crianças até 05 anos não pagam. O valor do prato executivo (com arroz, feijão, carne a escolha, farofa e salada) custa R$25, há também porções e bebidas. É importante ressaltar que não é permitido no local: utensílios de vidro, animais domésticos, som automotivo ou mecânico e acender fogo.

Pirenópolis

Pirenópolis  foi fundada em 1727 as margens do Rio das Almas após descoberta minas de ouro na região. Entre o século XVIII e XIX, a cidade foi um importante centro urbano do Estado, cuja mineração, comércio e agricultura (destaque para o algodão) era as principais atividades econômicas. Por manter intacta sua arquitetura colonial e suas tradições religiosas, Pirenópolis, que recebeu esse nome em homenagem a serra dos Pireneus, foi tombada como Patrimônio Histórico Nacional em 1988 pelo IPHAN.

Está planejando uma viagem a Pirenópolis? Saiba mais aqui: O que fazer em Pirenópolis?


Páginas123456789... 233»