Por Di Lua, sobre Dicas de Goiânia
Dia 06/07/2019

Vem para Goiânia e não sabe o que fazer? Os filhos estão de férias e não sabe onde leva-los? Gosta de andar de patins mas não conhece nenhum lugar apropriado para isso? Que tal conhecer o Centro Cultural Oscar Niemeyer?

O Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON) é um complexo de espaços culturais situado às margens da GO 020, perto do Shopping Flamboyant, em Goiânia. Ele foi inaugurado em março de 2006 e desde então é palco de diversos eventos relacionados à cultura, e um dos principais pontos de lazer dos goianienses.

O projeto do complexo é do arquiteto carioca Oscar Niemeyer e, por isso, o Centro foi batizado com seu nome. Apesar disso, muitas salas levam o nome de artistas goianos. Os edifícios do complexo foram todos construídos em formas geométricas e se tornaram ícones de Goiânia, sendo avistado de vários lugares da cidade.

O Centro é composto pela Esplanada Juscelino Kubitscheck, onde ocorre eventos, shows, apresentações, e onde os goianienses gostam de ir aos finais de semana para andar de patins e skate. Também é composto pelo prédio da Biblioteca, o MAC – Museu de Arte Contemporânea, pelo Palácio da Música, e pelo Monumento aos Direitos Humanos.

Biblioteca do Centro Cultural Oscar Niemeyer

No dia 19 de junho de 2019 foi inaugurada a maior biblioteca infantil do estado no Centro Cultural Oscar Niemeyer. O acervo conta com mais de 4600 títulos, com obras de Machado de Assis, JK Rowling, Monteiro Lobato, entre outros. Na programação da biblioteca há sessões de cinema, atividades de cotação de história, teatro e diversas oficinas.

O CCON funciona de terça a domingo, e a entrada é gratuita. Aos finais de semana há empresas que alugam patins e skate para quem quiser se aventurar nos esportes rs.

Confira mais dicas do que fazer em Goiânia aqui.

Você é de Goiânia? Conhece o Centro Cultural Oscar Niemeyer? Comente aqui:


Por Di Lua, sobre Dicas de Goiânia
Dia 10/04/2019


Rocket 07

Imagem: Reprodução Curta Mais

Um ambiente legal para encontrar a turma e ouvir alguns clássicos do rock (ACDC, Aerosmith, Guns and Roses, entre outros), além de comer bem, pois lá há petiscos e pratos que servem duas pessoas tranquilamente. Já fui no Rocket 07 duas vezes, e todas as vezes durante o sábado. Na primeira vez que fui experimentei uma carne forrada com bastante queijo e catupiry (desculpem, mas não lembro o nome), e da segunda vez comi a torre de batata, que se resume a uma torre de batata com bastante cheddar e bacon, estávamos em cinco pessoas e mesmo assim não conseguimos comer tudo.

Localização: Av. Portugal, 1010 – St. Marista, Goiânia – GO

Diablo Bar

Imagem Reprodução

Fui ao Diablo Bar pela primeira vez em dezembro de 2017 e adorei. O bar, que é anexo a boate Diablo, tem uma área externa grande e uma playlist do rock ao pop para animar qualquer sexta-feira que se preze, tanto que a maioria das pessoas vão para lá antes de ir para a balada. Pedimos uma porção de tiras de frango empanado com molho de ervas e amamos, o frango estava tão macio que lembrava peixe, e o molho de ervas foi o melhor que já comi em minha vida rs.

Localização: R. 91, 632 – St. Sul, Goiânia – GO

Vai Tomá no Kuka Bar

Famoso pelo seu Pastel gigante, o Vai Tomá no Kuka Bar (mais conhecido como Kuka) é um típico bar para ir com os amigos jogar conversa fora. Fui pela primeira vez lá em janeiro de 2019 e gostei bastante. Na parte interna do bar, que é bem pequena, a decoração rock and roll chama toda atenção, mas a galera gosta de ficar nas mesas espalhadas ao longo da calçada. Do lado do bar (ou seria na calçada do bar? rsrs) funciona a Loja do Ervilha – Bugigangas & Parafernálias com vários itens de decoração com a temática rock and roll, filmes e motos. Neste dia experimentei o Pastelzão, que dá tranquilamente para dois pessoas comerem.

Localização: Rua C-30 Qd.32 Lt.10 N.18 Jd. América

Confira aqui mais três bares que você precisa conhecer em Goiânia se gosta de Rock.


Por Di Lua, sobre Dicas de Goiânia
Dia 20/02/2019

Após dois anos, Sandy volta a Goiânia nesta sexta-feira, dia 22, com sua turnê “Nós, Voz, Eles”, projeto que, além de envolver vários artistas, também traz canções de outros álbuns e músicas inéditas. O Show acontece no Teatro Rio Vermelho às 21h30.

O projeto “Nós, Voz, Eles”, em que Sandy abriu o estúdio de sua casa para receber alguns artistas, foi lançado em novembro do ano passado pela Universal Music, e produzido por Lucas Lima. Além de ser um álbum colaborativo, foi marcado por interconectividade, isso porque além das canções, o projeto virou turnê e produziu uma websérie homônima par mostrar o processo de criação das músicas do álbum.

As oito canções inéditas foram realizadas em colaboração com Maria Gadú, Thiaguinho, Xororó, Iza, Anavitória, Melim, Lucas Lima e Mateus Asato, que colaboraram com as canções. Elas foram lançadas individualmente e posteriormente seus episódios foram publicados no site oficial do “Nós, Voz, Eles”.

O álbum é influenciado, principalmente, pelo pop e o folk, mas também incorpora elementos do blues, soul e jazz. Além disso, há canções que marcaram à carreira de Sandy, como Quatro Estações.

O Teatro Rio Vermelho, está localizado na Rua 4, Setor Central. Goiânia. A abertura dos portões será às 20h e o início do show às 21h30.

Texto: Laryssa Machado e Colaboração de Nathalia Oliveira, com informações do site Nós, Voz, Eles.
Imagens: Reprodução


Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 30/01/2019

Localizada a 120km de Goiânia, Pirenópolis encanta a todos não só com a arquitetura colonial do século XVIII, mas também com a infinidade de cachoeiras. Em dezembro, fui até a cidade conhecer o Parque do Coqueiro, complexo  situado na Serra dos Pireneus com duas cachoeiras, a do Coqueiro e a da Garganta.

Saímos de Goiânia e seguimos para Pirenópolis pela BR153. Chegando na cidade, pegamos a Rodovia dos Pireneus (BR-070, Km 20) sentido Parque dos Pireneus. O inicio da rodovia, ainda no perímetro urbano da cidade, é asfaltada, mas logo começa o pedaço de chão (são 13km de terra batida e com cascalho solto). Levamos cerca de 40 minutos de Pirenópolis até o Parque do Coqueiro.

Cachoeira da Garganta

O Parque do Coqueiro conta com uma ótima estrutura: estacionamento, banheiros, restaurante, trilhas sinalizadas e calçadas até as cachoeiras. Primeiro fomos a Cachoeira da Garganta, que fica do lado esquerdo da bifurcação da trilha. A queda é pequena, mas devido ao poço fundo, é ideal para banho. Além disso, há um espaço aberto com grama próximo a cachoeira, ideal para estender a canga, fazer um piquenique. Já a Cachoeira do Coqueiro, que dá nome ao atrativo,  fica do lado direito da bifurcação. Ao se aproximar da cachoeira você vê um alto buriti na praia formada pela água. A cascata é linda e o poço é raso.

Cachoeira do Coqueiro

O valor da entrada no Parque do Coqueiro é R$25 para adultos; R$12,50 para crianças de 06 a 12 anos; e crianças até 05 anos não pagam. O valor do prato executivo (com arroz, feijão, carne a escolha, farofa e salada) custa R$25, há também porções e bebidas. É importante ressaltar que não é permitido no local: utensílios de vidro, animais domésticos, som automotivo ou mecânico e acender fogo.

Pirenópolis

Pirenópolis  foi fundada em 1727 as margens do Rio das Almas após descoberta minas de ouro na região. Entre o século XVIII e XIX, a cidade foi um importante centro urbano do Estado, cuja mineração, comércio e agricultura (destaque para o algodão) era as principais atividades econômicas. Por manter intacta sua arquitetura colonial e suas tradições religiosas, Pirenópolis, que recebeu esse nome em homenagem a serra dos Pireneus, foi tombada como Patrimônio Histórico Nacional em 1988 pelo IPHAN.

Está planejando uma viagem a Pirenópolis? Saiba mais aqui: O que fazer em Pirenópolis?


Páginas12345678