Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 17/01/2020
hospedagem e alimentação em Pirenópolis -GO

Está pensando em passar um final de semana em Pirenópolis mas não tem ideia de onde se hospedar ou o quanto irá gastar com alimentação? então esse post é para você!

Passei a virada do ano em Pirenópolis e choveu de mensagens no Instagram pedindo indicações de hospedagem para quem vai de ônibus e as dicas de alimentação. Como a cidade fica a 120km de Goiânia, é uma boa opção de lugar para conhecer mesmo se você não tiver carro.Além disso, a passagem de ónibus da capital até lá custa de R$25 – R$35 e a rodoviária fica no Centro.

Hospedagem em Pirenópolis

Na hora de escolher onde ficar na cidade, você precisa levar em consideração algumas coisas:

Vou de ônibus: prefira ficar em lugares no Centro e use a Matriz Nossa Senhora do Rosário como ponto de referência, pois ela fica perto dos restaurantes, de lojas de artesanato, do Centro de Atendimento ao Turista (CAT), bancos, entre outros. Assim, você conseguirá se virar na cidade à pé. Contudo, se quiser ir em alguma cachoeira, precisará ir de taxi ou fechar com algum guia turístico (no CAT há o contato de alguns).

Vou de carro: quem vai de carro tem mais opção, pois não tem a necessidade de ficar exatamente no Centro. Pirenópolis tem hotéis para todos os públicos, gostos e bolsos, logo se você tiver procurando uma opção mais barata, provavelmente encontrará fora do Centro Histórico. Há muitos hotéis, casas pelo AirBnb e hostéis nos Bairro do Carmo, Vila Pireneus, Vila Cintra, Jardim Santa Bárbara e Setor Meia Ponte. Como a cidade é pequena, você não gastará mais do que 8 minutos de carro destes bairro até o Centro.

Vou de carro e quero sossego: há muitos hotéis fazendas na região, pousadas de charme e pousadas ao lado de cachoeiras (como a Pousada das Araras). Você pode ficar em um local mais afastado e tirar uma tarde para passear pelo Centro.

Vista do nosso quarto da Pousada Suprema

Eu estava em um grupo de quatro pessoas (eu, minha mãe, meu irmão e uma amiga da família) e ficamos hospedados na Pousada Supreme, localizada no Bairro Taquaral. Três diárias para quatro pessoas, com café da manhã, piscina e estacionamento rotativo saiu R$1529, sendo R$382,25 por pessoa. Eu achei o preço bom, principalmente porque era Réveillon

Alimentação em Pirenópolis

Como em todo lugar, os restaurantes mais tradicionais e/ou mais caros ficam no Centro e os com preço baixo ficam mais afastados. Assim, na Rua do Lazer estão os restaurantes mais chiques, com pratos a la carte, com um cardápio diversificado e até com música ao vivo. Durante o dia, há restaurantes por kilo em frente à Igreja Nossa Senhora do Rosário, como o Restaurante Central (R$39,90 o kg)  e o Tempero do Rosário (R$25 a vontade por pessoa). 

Café da Manhã na Pousada

Subindo a Matriz em direção à Rua dos Bancos, à diversos restaurantes pequenos em que o almoço custa R$12 – R$15 por pessoa (a vontade ou prato feito).

Almoço na Cachoeira das Araras e no Restaurante Central

No primeiro dia da viagem (assista ao vlog) almoçamos na Cachoeira das Araras (R$54,90 o kg), no segundo dia  no Restaurante Central e nos outros dia no Nota 10, e pagamos R$15 por pessoa. Esse último também fica perto da Igreja e em frente a Panificadora Patrícia. A noite fazíamos um lanche ou comíamos nas barraquinhas no calçadão dos Rio das Almas, no Centro.

E você, já conhece Pirenópolis?


Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 09/01/2020
Cachoeiras de Pirenopolis GO lary dilua

Passei o Reveillon em Piri e aproveitei para finalizar 2019 e começar 2020 com as energias recarregadas após banhos gelados nas cachoeiras de Pirenópolis – GO. Foi o meu primeiro fim de ano na cidade e, apesar de estar lotada, gostei bastante.

Ficamos hospedados na Pousada Supreme, localizada no Bairro Taquaral, a 4,5 Km do Centro, cerca de 8 minutos de carro. Três diárias para quatro pessoas, com café da manhã, piscina e estacionamento rotativo saiu R$1529. 

Cachoeiras de Pirenópolis – GO

Com mais de 80 cachoeiras espalhadas pelo município, ir em Pirenópolis e não ir em alguma chega a ser um pecado. A maioria está situada no Parque Estadual da Serra dos Pireneus, unidade de conservação criado em 1987 e localizado a 20 km da cidade. Com quase três mil hectares, o Parque abriga diversas cachoeiras, rios e uma imensa diversidade de fauna e flora típicas do cerrado. A entrada para o parque é gratuita, porém cada cachoeiras/fazenda tem sua taxa.

Desta vez decidi ir naquelas que ainda não conhecia, que fossem mais próximas da cidade e que tivessem um acesso fácil. Acredito que a cachoeira de Pirenópolis GO mais próxima do Centro é a BonSucesso, mas como já havia ido nela duas vezes, a risquei da lista. Assim acabei indo na Cachoeiras das Araras e na Cachoeira Usina Velha. Veja a seguir como foi a experiência nos dois lugares.

Cachoeira das Araras

Essa cachoeira está localizada na Zona Rural de Pirenópolis, e seu acesso é pela Rodovia GO-338, que liga a cidade à Goianésia. São 18km pela rodovia e depois mais 2km por estrada de terra. Há uma placa no início da estrada. Achei o acesso bem fácil, e qualquer carro chega ao local sem dificuldade. Realizamos o pagamento na portaria, R$25 por pessoa, e fomos informados que o estacionamento era ao lado, mas que poderíamos ir de carro o mais próximo da cachoeira, mas que precisaríamos passar dentro do rio. Preferi não arriscar e deixe o carro no primeiro estacionamento e atravessamos o rio pela ponte pênsil, exclusivo para os pedestres. 

O local tem uma boa estrutura, restaurante, banheiros, quiosques, mesas próximas à cachoeira e parquinho para crianças. Para usar os quiosques é cobrado uma taxa, assim como para entrar no local com caixa de isopor.

A Cachoeira é linda, à uma pequena parte rasa com areia ideal para crianças e pessoas com dificuldade de locomoção. Por conta do Réveillon o local estava lotado, mas conseguimos arrumar um lugar perto da água e na sombra para estender nossas esteiras. 

Para quem deseja se hospedar afastado do Centro de Pirenópolis e ficar mais perto da natureza, há uma pousada no local (Gravei um vlog desse dia e você pode assistir aqui).

Valor da Entrada: R$25
Dia e horário de funcionamento: todos os dias, das 07h às 17h
Endereço: Rodovia GO-338, Km 18 Zona Rural, Pirenópolis – GO

Cachoeira Usina Velha

A Usina Velha é formada por diversas pequenas quedas d’água e poços do Ribeirão do Inferno, um dos afluentes do rio das Almas,. A maior queda tem dez metros e é formada pela construção da antiga usina Gastão de Siqueira. Eu já havia estado nessa cachoeira, mas tem tanto tempo (uns dez, oito anos), que tinha esquecido como era.

Após deixar o carro no estacionamento, passamos por uma pequena lanchonete com água, refrigerante e salgadinhos. Do lado tem um pequeno banheiro para quem desejar trocar de roupa e só. Pode entrar com caixa de isopor e bebidas, desde que elas não estejam em garrafas de vidro. Também não pode entrar com caixinha de música (ainda bem).

Da lanchonete até a cachoeira tem uma descida calçada com corrimão, de uns 300 metros no máximo, e logo o caminho fica plano e se chega na cachoeira. Todavia, há uma ponte pênsil por cima dos poços para quem desejar ficar do outro lado do rio.  Conseguimos ficar em um cantinho mais plano próximo o início da ponte e não precisamos passar para o lado de lá. 

Essa sem dúvida é uma das cachoeiras mais lotadas da região, seja em feriados ou não, pois além de ser próxima à cidade, faz parte de uma área de camping, que também tem a cachoeira da Meia Lua como atração. Contudo, esqueci completamente disso ao decidir visitar ela no dia 01/01 e me arrependi. Tenho certeza que tinha umas 1000 pessoas no local e foi complicado achar um lugar bom para tomar banho. 

Valor da Entrada: R$25
Dia e horário de funcionamento: todos os dias, das 08h às 17h30
Endereço: Rodovia Parque dos Pireneus, Pirenópolis – BA

Outras cachoeiras

De todas as cachoeiras de Pirenópolis GO que já visitei, a mais linda é a Coqueiros que fica situado no Parque de mesmo nome, na Serra dos Pirineus (saiba mais aqui).

Você conhece a cidade ou alguma das mais de 80 cachoeiras de Pirenópolis-GO? comente aqui


Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 30/01/2019

Localizada a 120km de Goiânia, Pirenópolis encanta a todos não só com a arquitetura colonial do século XVIII, mas também com a infinidade de cachoeiras. Em dezembro, fui até a cidade conhecer o Parque do Coqueiro, complexo  situado na Serra dos Pireneus com duas cachoeiras, a do Coqueiro e a da Garganta.

Saímos de Goiânia e seguimos para Pirenópolis pela BR153. Chegando na cidade, pegamos a Rodovia dos Pireneus (BR-070, Km 20) sentido Parque dos Pireneus. O inicio da rodovia, ainda no perímetro urbano da cidade, é asfaltada, mas logo começa o pedaço de chão (são 13km de terra batida e com cascalho solto). Levamos cerca de 40 minutos de Pirenópolis até o Parque do Coqueiro.

Cachoeira da Garganta

O Parque do Coqueiro conta com uma ótima estrutura: estacionamento, banheiros, restaurante, trilhas sinalizadas e calçadas até as cachoeiras. Primeiro fomos a Cachoeira da Garganta, que fica do lado esquerdo da bifurcação da trilha. A queda é pequena, mas devido ao poço fundo, é ideal para banho. Além disso, há um espaço aberto com grama próximo a cachoeira, ideal para estender a canga, fazer um piquenique. Já a Cachoeira do Coqueiro, que dá nome ao atrativo,  fica do lado direito da bifurcação. Ao se aproximar da cachoeira você vê um alto buriti na praia formada pela água. A cascata é linda e o poço é raso.

Cachoeira do Coqueiro

O valor da entrada no Parque do Coqueiro é R$25 para adultos; R$12,50 para crianças de 06 a 12 anos; e crianças até 05 anos não pagam. O valor do prato executivo (com arroz, feijão, carne a escolha, farofa e salada) custa R$25, há também porções e bebidas. É importante ressaltar que não é permitido no local: utensílios de vidro, animais domésticos, som automotivo ou mecânico e acender fogo.

Pirenópolis

Pirenópolis  foi fundada em 1727 as margens do Rio das Almas após descoberta minas de ouro na região. Entre o século XVIII e XIX, a cidade foi um importante centro urbano do Estado, cuja mineração, comércio e agricultura (destaque para o algodão) era as principais atividades econômicas. Por manter intacta sua arquitetura colonial e suas tradições religiosas, Pirenópolis, que recebeu esse nome em homenagem a serra dos Pireneus, foi tombada como Patrimônio Histórico Nacional em 1988 pelo IPHAN.

Está planejando uma viagem a Pirenópolis? Saiba mais aqui: O que fazer em Pirenópolis?


Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 11/11/2015

o que fazer em Pirenópolis lary di lua (6)

Você gostou muito do post “Look da Lary: Portas de Pirenópolis” e ficou com vontade de conhecer a cidade ? Então continue lendo esse post e saiba o que fazer em Pirenópolis.

o que fazer em Pirenópolis lary di lua (5)

Andar pelas ruas da época colonial

Pirenópolis foi tombada como Patrimônio Histórico pelo IPHAN em 1989, devido a preservação de sua arquitetura e tradições. Andar pelo Centro Histórico da cidade é como viver na época colonial, observando os casarões e igrejas do século XVIII. Nessas andanças você vai acabar chegando na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário (A imagem de Nossa Senhora do Rosário chegou em Pirenópolis em 1727, e se tornou a padroeira da cidade), Igreja de Nosso Senhor do Bonfim e Igreja de Nossa Senhora do Carmo, e mesmo que você não seja católico, vai querer fotografá-las devido a sua arquitetura barroca. Vale a pena visitar também o Teatro de Pirenópolis, que mistura o colonial e o neoclássico, e o Cine Teatro Pireneus, em estilo art-déco.

o que fazer em Pirenópolis lary di lua (1)Igreja Nossa Senhora do Rosário
o que fazer em Pirenópolis lary di lua (4)Ponte sobre o Rio das Almas

Visitar Museus e teatro

Museu de Arte Sacra – O museu é integrado a Igreja Nossa Senhora do Carmo e foi fundado há mais de 250 anos. Lá você encontra diversos elementos artísticos como imagens santas, quadros e sinos. A imagem de Nossa Senhora do Rosários dos Pretos, do século XVIII e esculpida pelo artista barroco goiano Veiga Valle, é o item mais valioso do acervo.  O Museu está localizado no Bairro do Carmo e pode ser visitado de quarta a domingo, das 11 às 17h.

Museu do Divino – O museu está instalado no antigo prédio da Casa de Câmara e Cadeia  e fornece várias informações sobre a festa do Divino, uma das mais importantes da região. O turista tem acesso a fotografias, peças, roupas, imagens e muito mais. O Museu do Divino está localizado na Av. Beira Rio, no Centro Histórico de Pirenópolis. As visitas também acontecem de quarta a domingo, das 11 às 17h.

Teatro Sebastião Pompeu de Pina – O segundo teatro construído em Pirenópolis é datado do final do século XIX e início do século XX. O teatro está localizado no Largo da Matriz, no Centro Histórico da cidade.

o que fazer em Pirenópolis lary di lua (7)

Fazer trilhas e tomar Banho de Cachoeira

Com cerca de nove cachoeiras espalhadas pelo município, Pirenópolis é uma cidade para todos os gostos e estilos físicos (rsrs). Se você for mais sedentário, pode visitar a Cachoeira da Meia Lua, que não exige muito prepara físico. Agora, se você tem bom preparo físico você pode ir a Fazenda Bonsucesso, a 5km da cidade, e fazer a trilha que passa pelo trecho da Estrada Real (da época do Brasil Colônia e era usada para escoar o ouro produzido no município) e  leva a um conjunto de seis cachoeiras do ribeirão Soberbo, um dos afluentes do rio das Almas (rio que corta a cidade), denominadas de Açude, Landi, Palmito, Pedreira, Bonsucesso (com queda de 12 metros) e a Lagoa Azul.

Você ainda pode visitar a Cachoeira Nossa Senhora do Rosário, Cachoeira da Meia Lua, Cachoeira do Abade, Cachoeiras das Araras, Cachoeira da Usina Velha, Cachoeiras do Bonsucesso, Cachoeiras dos Dragões, Cachoeira do Lázaro, e a Cachoeira Santa Maria.

Se você gosta de água fria (muito fria mesmo), Pirenópolis é seu lugar.

o que fazer em Pirenópolis lary di lua (8)Lagoa Azul
o que fazer em Pirenópolis lary di lua (9)Bonsucesso

Páginas12