Por Di Lua, sobre Diário de Viagem
Dia 18/06/2019

Aproveitei para conhecer o Convento da Penha, o principal ponto turístico da cidade, assim que cheguei em Vila Velha, a segunda parada da minha viagem só.

Cheguei no apartamento que aluguei pelo AirBnb, localizado na Praia da Costa, por volta das 10h30. Fui ao supermercado e comprei algumas frutas e frango para preparar um almoço rápido. Depois de me organizar, arrumar e almoçar aproveitei para ir no Convento da Penha que fica bem perto do apartamento onde eu estava hospedada. Levei menos de 10 minutos para chegar na entrada.

Entrada do Convento da Penha na Rua Vasco Coutinho, Prainha

O Convento da Penha é um dos pontos turísticos de Vila Velha e tem uma vista incrível da cidade, da 3ª ponte e de Vitória. Não é cobrado valor de entrada e para subir até o convento, localizado a 154m de altitude você pode ir a pé ou pegar uma van, que cobra R$5 ida e volta ou R$3,50 para fazer apenas um dos percursos.

Eu preferi economizar e subir a pé, pois a co-anfitriã do apartamento me informou que era tranquilo. Após 20 minutos subindo o morro, cercado pela mata atlântica, cheguei ofegante (hahaha) no largo do Campinho (quem em dias normais que funciona como estacionamento). Desse lugar já é possível conferir a paisagem linda que se tem da 3ª ponte e do Convento em cima do penhasco. Para chegar de fato até o convento, mais alguns lances de escada (e aqui é ou subir de escada ou subir de escada). É tranquilo subir até o Campinho a pé sim, mas neste dia o sol estava muito quente e eu sedentária hahaha. A volta foi bem mais tranquila e rápida.

Convento da Penha

O Convento da Penha, localizado na Prainha em Vila Velha, é um dos santuários religiosos mais antigos do Brasil, fundado em 1558 por Frei Pedro Palácios em 1558. A 154m de altitude e a 500m do mar, o Convento da Penha está incrustado na rocha do morro, proporcionando vistas panorâmicas da barra de Vitória, do Oceano Atlântico e de Vila Velha.

No início da construção do Convento, Frei Pedro Palácios se abrigou em uma gruta de pedra, que hoje leva seu nome e em 1562 construiu uma capela dedica a São Francisco de Assis, onde hoje é o largo. Após seis anos, foi construída a capela em cima do penhasco e que recebeu a imagem de Nossa Senhora da Penha, trazida de Portugal em 1569.

A Capela de Nossa Senhora da Penha foi ampliada ao longo dos anos, e ganhando anexos, como o Convento da Penha e o prédio do museu, que era “Casa dos Romeiros”, e ruínas das antigas senzalas.

O interior da Igreja é belíssimo, todo revestido de madeira. No Altar Mor há mais de 200 peças de 19 tipos diferentes de mármore, além de uma talha de madeira dourada do escultor italiano Carlo Crepaz do século XIX. A imagem da Virgem da Penha é ladeada por anjos e querubins e ao seu lado os santos franciscanos: São Francisco de Assis e Santo Antônio de Lisboa e de Pádua.

Vale a pena visitar o local mesmo se você não for católico pela história do lugar e por conta da vista magnifica.

Com informações de conventodapenha.org.br